Westinghouse, da Toshiba, pede recuperação judicial sob peso de US$9,8 bi em dívidas

WILMINGTON/TÓQUIO (Reuters) - A Westinghouse Electric, unidade nuclear do conglomerado japonês Toshiba, pediu recuperação judicial nesta quarta-feira, atingida por bilhões de dólares em estouros nos orçamentos de quatro reatores em construção nos Estados Unidos.

O pedido de recuperação lança uma sombra sobre as primeiras novas usinas nucleares dos Estados Unidos em três décadas, que tinham previsão de começar a produzir energia nesta semana, mas acumulam anos de atrasos de cronograma.

Os quatro reatores são parte de dois projetos conhecidos como VC Summer, no Estado norte-americano da Carolina do Sul, e Vogtle, na Georgia. O custo dos projetos disparou por causa de exigências maiores de segurança por parte de autoridades dos EUA e também por custos de mão de obra, equipamentos e componentes acima do esperado.

Autoridades norte-americanas aprovaram custo de cerca de 14 bilhões de dólares para cada um dos projetos, mas o Morgan Stanley estimou que a conta final deve ficar em 22 bilhões de dólares para o projeto de Carolina do Sul e em cerca de 19 bilhões de dólares para a usina da Georgia.

A Toshiba comprou a Westinghouse em 2006 por 5,4 bilhões de dólares. A empresa pretendia construir dezenas de novos reatores nucleares modelo AP1000, considerados mais seguros, mais rápidos de construir e mais compactos, o que criaria um fluxo de trabalho para sua divisão de manutenção.

O pedido, feito sob o peso de 9,8 bilhões de dólares em dívidas até o final de dezembro, também ajudará a Toshiba a manter suas operações.

O conglomerado japonês espera registrar um prejuízo líquido de 1 trilhão de ienes (9 bilhões de dólares) para o ano fiscal que se encerra na sexta-feira, um dos maiores prejuízos da história corporativa do Japão.

A Toshiba está vendendo sua divisão de chips de memória, segunda maior produtora de chips NAND do mundo, e 10 potenciais grupos mostraram interesse, afirmou uma fonte com conhecimento do assunto.