WeWork faz pedido de IPO e divulga prejuízo de US$ 1,9 bilhão

Foto: Scott Olson/Getty Images

A WeWork, empresa que oferece escritórios compartilhados para startups em todo o mundo, entrou com pedido de oferta pública de ações (IPO) nesta quinta-feira (15). Com isso, a empresa teve que revelar o estado de saúde das suas finanças para a Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês).

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

A companhia, que recentemente mudou de nome para The We Company, admitiu que teve um prejuízo de US$ 1,9 bilhão em 2018, ante uma receita de US$ 1,8 bilhão. Só no primeiro semestre, o prejuízo cresceu 25% na comparação ano a ano, mas diminuiu na comparação com o trimestre anterior.

Leia também

Por outro lado, a receita dobrou no mesmo período, chegando a US$ 1,5 bilhão. O número de empresas com escritórios compartilhados na plataforma chegou a 527 mil, um aumento de 96% em um ano. A WeWork já está em 111 cidades e quer chegar a mais 169 cidades após o IPO.

Estima-se que o valor da We Company gire em torno de US$ 47 bilhões. Com isso, o IPO da empresa será o segundo maior do ano, perdendo apenas para o da Uber, avaliada em US$ 82 bilhões à época de sua oferta de ações, e que também tinha prejuízo quando decidiu se abrir ao mercado.

O prejuízo também tem diminuído com o tempo, mas a companhia espera verter lucro após o IPO, que ainda não tem data para ser oficializado.