WhatsApp, Facebook e Instagram: o que se sabe sobre pane global das redes de Mark Zuckerberg

·3 minuto de leitura
Sombra de mulher olhando para celular, com logo do Facebook no fundo
Pane no Facebook, WhatsApp e Instagram afetou milhões de usuários

Após cerca de seis horas de instabilidade e interrupção em várias partes do mundo nesta segunda-feira (4/10), o acesso ao WhatsApp, Facebook e Instagram está se normalizando.

Todas estas redes sociais pertencem à empresa Facebook, de Mark Zuckerberg, e ficaram fora do ar tanto através de aplicativos quanto de navegadores de internet.

O site Downdetector, que monitora este tipo de problema, disse que esta foi a maior falha já registrada, com 10,6 milhões relatos de problemas em todo o mundo.

No Brasil, sinais da interrupção já apareciam às 13h30 (horário de Brasilia). Os mesmos problemas foram identificados pelo Downdetector em outras grandes regiões metropolitanas globais, como Washington (EUA) e Paris (França).

A última vez que o Facebook teve uma interrupção dessa magnitude foi em 2019.

Nesta segunda-feira, a conta do Facebook no Twitter (rede social não pertencente ao grupo) pediu desculpas pelo problema: "À enorme comunidade de pessoas e negócios ao redor do mundo que dependem de nós: pedimos desculpas. Temos trabalhado duro para restabelecer o acesso aos nossos aplicativos e serviços, e estamos felizes em comunicar que eles estão voltando agora."

O diretor de tecnologia da empresa, Mike Schroepfer, disse que pode levar algum tempo para que os serviços do Facebook "cheguem a 100%".

A empresa ainda não especificou a origem do problema até o momento. Entretanto, no início da tarde, aparecia no lugar da página do Facebook uma mensagem de falha de Domain Name System (DNS) — o DNS é o servidor que direciona os usuários aos destinos durante a navegação.

O DNS costuma ser comparado com uma lista telefônica ou um caderno de endereços da internet, levando os navegadores ao sistema do site que está sendo buscado.

Uma pane semelhante de DNS afetou a empresa de armazenamento na nuvem Akamai em julho, afetando múltiplos serviços.

Outras falhas semelhantes aconteceram neste ano em outros produtos.

E uma das vezes, a pane foi causada por um único cliente de um serviço muito usado que mudou suas configurações, dando início a um problema de software que afetou um grande número de páginas.

Facebook, whatsApp e Instagram
Falhas nas redes do Facebook ainda não foram esclarecidas

Como o próprio Facebook controla essas configurações, acredita-se que o problema seja interno, segundo especialistas em segurança cibernética ouvidos pela agência Reuters. Eles especulam que a pane possa ser resultado de um erro, embora a possibilidade de sabotagem interna não seja, neste momento, descartada por esses especialistas. A possibilidade de ação hacker é considerada mais remota, uma vez que exigiria uma grande coordenação entre poderosos grupos de hacking ou técnicas extremamente inovadoras.

É raro que esse tipo de problema afete gigantes da tecnologia como o Facebook e permaneça sem solução por muito tempo.

"A duração da pane é bastante incomum, e há relatos de 'caos' na sede do Facebook, enquanto técnicos tentavam consertar o problema", relata o repórter especializado em tecnologia da BBC na América do Norte, James Clayton.

As ações do Facebook caíram quase 5% na Bolsa de Nova York, em meio também a revelações de um informante sobre práticas da empresa.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos