Witzel anuncia abertura de hospital de campanha no Maracanã neste sábado

Rafael Oliveira

RIO - Após reunião de cerca de 1h30 com o ministro da saúde Nelson Teich, Wilson Witzel anunciou a abertura do hospital de campanha do Maracanã para este sábado. Segundo o governador do Rio, a unidade de combate à Covid-19 será aberta com capacidade reduzida. Serão 40 leitos de 400. A promessa é de que, no domingo, ele já esteja operando com 200 e, até o próximo fim de semana, o número total seja atingido.

As informações foram passadas pelo próprio Witzel em pronunciamento que não contou com a presença de Teich. O ministro deixou o local poucos minutos antes.

Além da reunião, Teich visitou as instalações do hospital de campanha. De acordo com Witzel, um dos principais assuntos tratados na conversa com o ministro foi a carência de respiradores artificiais. O governador afirmou que a promessa do Governo Federal é entregar 100 unidades ao Estado do Rio. Ele explicou, no entanto, que este número ainda não está oficializado.

Os respiradores, por sinal, foram responsáveis por um momento de constrangimento para o governador. Durante o pronunciamento, um pedestre do lado de fora do Maracanã chamou Witzel, aos gritos, de corrupto. Nesta quinta, o ex-sub-secretario de saúde Gabriell Neves foi preso por fraude na compra de respiradores para o estado.

- No meu governo, não tem bandido de estimação.

Outro assunto forte da semana, a adoção do lockdown foi descartada pelo governador neste primeiro momento. Segundo ele, a polícia militar irá ajudar os municípios a fazer com que a população cumpra medidas já adotadas.

- Se estivessem seguindo as recomendações que fizemos calçadões não estariam funcionando e áreas de lazer, como praças, não estariam com aglomerações.