Witzel defende atuação da polícia no caso Ágatha: "estamos no caminho certo"

Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, concede entrevista coletiva nesta segunda-feira (23) - Foto: Divulgação/Governo RJ

Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, falou nesta segunda-feira (23) pela primeira vez sobre a morte de Ágatha Félix, 8 anos, no Complexo do Alemão, na Zona Norte. Ele defendeu sua política de segurança e disse ver o estado no “caminho certo".

Witzel culpou o narcotráfico pela morte de Ágatha e defendeu a atuação da polícia. “A nossa missão é resgatar o Estado do Rio das mãos do crime organizado. O resultado está aparecendo de forma satisfatória. O narcotráfico utiliza as comunidades como escudo. Atiram em policiais e nas pessoas. O crime organizado tem mantido a barbárie como uma de suas bandeiras. Nós estamos conseguindo combater porque os policiais militares e civis estão trabalhando."

Leia também

Muito criticado por políticos e sociedade civil, Witzel rebateu os críticos e elogiou o desempenho de sua gestão. “Tenho certeza que estamos no caminho certo", garantiu.

Ele afirmou também que está cuidando pessoalmente na investigação do caso. "Liguei para os secretários de polícia determinando o rigor e a celeridade nas investigações. Eu confio no trabalho das polícias e do MP. E independente do meu pedido eu sei que eles vão fazer o trabalho que tem que fazer".

O governador prestou solidariedade à família de Àgatha e lembrou que também é pai de uma garota. "A dor de uma família não se consegue expressar. Eu também sou pai e tenho uma filha de 9 anos. Não posso dizer que sei o tamanho da dor que os pais da menina estão sentindo. Jamais gostaria de passar por um momento como esse. Tem sido difícil ver a dor das famílias que tem seus entes queridos mortos pelo crime organizado. Eu presto minha solidariedade aos pais da menina Ágatha. Que Deus abençoe o anjo que nos deixou", afirmou Witzel.

Defesa ao projeto de Moro

Motivado pela morte da Ágatha Félix, de 8 anos, o GT (Grupo de Trabalho) da Câmara que analisa o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro, deve derrubar o excludente de ilicitude, nesta terça-feira (24).

O governador se disse a favor do excludente e defendeu o projeto do ministro. "Tenho minha opinião pessoal que a excludente de ilicitude nós poderíamos continuar exatamente como estamos, no artigo 25 do Código Penal, mas toda lei que vem para aclarar, para melhorar a interpretação judicial é bem vinda e assim o é a proposta do ministro Sérgio Moro, do artigo 25 do Código Penal, onde acrescenta 2 incisos."