Witzel presta depoimento em interrogatório ao tribunal misto no processo de impeachment

Felipe Grinberg
·1 minuto de leitura

RIO — Witzel faz nesta quarta-feira sua defesa diante do Tribunal Especial Misto (TEM), que julga seu processo de impeachment. O governador afastado chorou ao pedir a palavra antes de começar o interrogatório. Em seu discurso prévio, o governador se emocionou:

- Fui servidor público e militar da Marinha de Guerra. São 35 anos de vida publica movida pelo sentimento de lealdade e maor

Mais cedo, minutos antes do depoimento do ex-secretário Edmar Santos, que é ouvido em sigilo pelo Tribunal Especial Misto (TEM), Witzel disse que havia uma organização criminosa agindo dentro da secretaria de Saúde. Segundo ele, o desvio de recursos não foi comprovado, mas é preciso ouvir todos os participantes do esquema:

— Havia uma organização criminosa agindo na Saúde do estado do Rio de Janeiro, na sombra, e nos depoimentos do Edson Torres e nos depoimentos do Edmar, eu identifiquei, e hoje isso será explorado aqui, quem efetivamente é o chefe da organização criminosa. Não foi ouvido ainda um dos participantes dessa organização criminosa, que segundo depoimento do Edson Torres, essa pessoa, Zé Carlos, foi apresentado ao Edmar para que ele fizesse parte dessa distribuição de caixinha — afirmou.