Woody Allen se declara "uma ameaça à sociedade" em livro de memórias

Woody Allen se declara "uma ameaça à sociedade" em livro de memórias

Cercado de polêmicas, o livro de memórias de Woody Allen, Apropos of Nothing, foi publicado. De acordo com a Associated Press, a obra será lançada hoje (23) pela editora Arcade Publishing e conta com um pós-escrito em que o cineasta se define, com ironia, como uma "pária tóxica" e "uma ameaça à sociedade".

O livro seria publicado pela Hachette, que cancelou o projeto no início deste ano após sofrer duras críticas de Ronan Farrow, filho de Woody Allen. Ronan acusou a editora de não ter entrado em contato com sua irmã, Dylan Farrow, que acusa o diretor de abusá-la sexualmente quando ela tinha sete anos. Na época, o cineasta se relacionava com a mãe de Ronan e Dylan, a atriz Mia Farrow.

De acordo com a AP, Allen fala sobre as acusações no livro: “Eu nunca coloquei um dedo em Dylan. Nunca fiz nada com ela que pudesse ser mal interpretado como abuso. Foi uma fabricação total do começo ao fim", disse, admitindo que colocou a cabeça no colo da criança, durante uma visita realizada em 1992.

"Eu estava em uma sala cheia de pessoas assistindo TV no meio da tarde", afirma Allen, agradecendo a oportunidade de se expressar no livro, mesmo sendo tão mal visto na sociedade nos dias de hoje. Jeannette Seaver, editora da Arcade Publishing, defendeu o lançamento.

“Nesses tempos estranhos, quando a verdade é muitas vezes descartada, como se fosse 'fake news', nós, editores, preferimos dar voz a um artista respeitado, em vez de se curvar àqueles determinados a silenciá-lo", escreveu ela em comunicado obtido pela AP.