World of Warcraft não deve chegar ao celular tão cedo

A Activision Blizzard e a NetEase cancelaram um projeto para criar uma versão do game World of Warcraft para celular que estava em desenvolvimento há três anos, levantando questões sobre uma das relações comerciais mais lucrativas do setor.

Briga continua: Musk diz que Twitter fez jogo de 'esconde-esconde' e acusa empresa de trapaça por esconder número de base de usuários

O que vem depois do 5G? Conheça o 6G, a 'internet dos sentidos'

A NetEase desfez uma equipe de mais de 100 desenvolvedores encarregados de criar conteúdo para o título, dos quais apenas alguns foram transferidos para outras áreas, disseram pessoas familiarizadas com o assunto.

As duas empresas discordaram sobre os termos e finalmente interromperam o projeto, que havia sido mantido em sigilo, disse uma das fontes, pedindo para não ser identificada discutindo informações privadas.

No dia seguinte à publicação desta história, um porta-voz da Activision disse que não houve um desacordo financeiro entre as duas empresas.

"Continuamos a ter um relacionamento extremamente bem-sucedido com a NetEase e é totalmente falso sugerir que houve disputas financeiras", disse o porta-voz em comunicado. Procurado pela reportagem , um porta-voz da NetEase se recusou a comentar.

Concorrência: Compra da Activision pela Microsoft agita rivais e abre espaço para novas aquisições no segmento

Glossário: Gêmeo digital, metacoisas e a realidade mista, confira os novos termos tecnológicos do 5G

A decisão lança incerteza sobre a parceria da Blizzard com a segunda gigante de jogos da China, que oferece ao estúdio dos Estados Unidos uma valiosa janela para o maior mercado móvel do mundo.

A NetEase, com sede em Hangzhou, publica World of Warcraft e outras franquias da Blizzard no país e também é co-criadora do recém-lançado Diablo Immortal, que está a caminho de se tornar um sucesso comercial, apesar das críticas sobre suas compras no jogo.

O título agora cancelado, de codinome Neptune, foi concebido como um jogo de RPG on-line multiplayer, ambientado no mesmo universo de World of Warcraft. Não seria uma tradução direta do popular jogo on-line, mas um spin-off, ambientado em um período de tempo diferente.

Personagem latina: Jogo 'GTA 6' terá mulher como protagonista pela primeira vez na franquia

Insider trading: Compra bilionária da Activision Blizzard pela Microsoft é alvo de investigação

A incursão da Activision Blizzard no mobile foi um dos fatores por trás da aquisição de US$ 69 bilhões pela Microsoft. Em maio, a subsidiária da Blizzard revelou um próximo jogo para celular ambientado no universo Warcraft – um título de estratégia chamado 'Warcraft Arclight Rumble', que lembra o popular Clash Royale, da Supercell Oy.

No entanto, nem todas as iniciativas móveis da Blizzard foram bem-sucedidas. A empresa também cancelou outro projeto baseado em Warcraft, um jogo de realidade aumentada semelhante ao Pokémon GO, informou a Bloomberg News. Esse jogo, que levou o nome de Orbis, estava em desenvolvimento há mais de quatro anos.

Games: Indústria cresce no Brasil, e número de estúdios salta 169% em quatro anos

Tankar, ratio, cheugy... Entenda como games e memes moldaram as gírias atuais

O jogo original World of Warcraft foi lançado em 2004 e continua sendo uma das maiores fontes de dinheiro da Activision Blizzard e da NetEase, que é a distribuidora chinesa do game desde 2009. Sua próxima expansão, Dragonflight, está prevista para ser lançada ainda este ano.

Os desenvolvedores de jogos chineses se mostraram hábeis em fazer games de sucessos globais para aplicativos móveis, como PUBG Mobile, AFK Arena e Genshin Impact. A Tencent, rival muito maior da NetEase, adaptou a franquia Call of Duty para celular em parceria com a principal divisão da Activision.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos