‘X-Tudão’: Médico preso por manter paciente em cárcere vendia pacote de cirurgias

Médico cirurgião plástico Bolívar Guerrero Silva foi preso por manter paciente em cárcere privado (Foto: Reprodução/TV Globo)
Médico cirurgião plástico Bolívar Guerrero Silva foi preso por manter paciente em cárcere privado (Foto: Reprodução/TV Globo)
  • Médico foi preso após manter uma paciente em cárcere privado em Duque de Caxias

  • A vítima foi impedida de deixar o hospital após um erro cometido pelo cirurgião

  • Outras dezenas de vítimas já acusaram Bolívar Guerrero Silva de erros em cirurgias

Preso por manter uma paciente em cárcere privado após complicações de uma cirurgia, o médico Bolívar Guerrero Silva é acusado de cometer erros em procedimentos realizados por outras pacientes.

Uma destas vítimas explicou, em entrevista ao Fantástico, da TV Globo, que procurou o cirurgião após um longo período de dúvidas. Na época, contratou um pacote de procedimentos estéticos, conhecido como “X-Tudão”.

“Foram uns três anos tomando coragem, pesquisando com outros médicos. Aí, eu fui lá e fiz o X-Tudão”, relatou a cabeleireira Lídia Pereira.

O tal “X-Tudão”, assim como os outros procedimentos realizados por Bolívar, era disseminado nas redes sociais e no WhatsApp por uma equipe de divulgadores.

O pacote com diversas cirurgias tinha preço bem mais acessível do que os valores encontrados em outros centros e poderia ser pago em carnê, em até 10 vezes.

Como tantas outras pacientes de Bolívar, porém, Lídia contou que tem de conviver até hoje com as falhas cometidas nos procedimentos realizados pelo médico.

“É só olhar as marcas que tá no meu corpo. Para mim tudo deu errado, nada teve um sucesso para mim: nem o enxerto no bumbum, nem a prótese, nada, nem o abdômen. Só vive inchado”, disse.

Cárcere privado

A paciente Daiana Cavalcanti teve complicações depois de passar por uma abdominoplastia realizada por Bolívar Guerrero Silva em junho no Hospital Santa Branca. Segundo a polícia, ele mantinha a mulher em cárcere privado impedindo que ela fosse transferida de hospital. Ela conseguiu ser levada na última quinta-feira (21) para o Hospital Geral de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio.

Bolívar já responde a pelo menos 19 processos na Justiça por erros médicos. Depois da repercussão do caso de Daiana, outras 11 mulheres já compareceram à Delegacia da Mulher de Duque de Caxias para denunciar o médico.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos