Xamãs peruanos lançam previsões para 2023 e focam na guerra da Ucrânia

Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy

LIMA (Reuters) - Bruxas e xamãs peruanos, carregando fotos dos presidentes da Ucrânia e da Rússia, prenunciaram nesta quarta-feira um acordo de paz em 2023 entre as duas nações, durante um ritual de Ano Novo com incenso e flores no topo de uma colina.

Vestidos com trajes multicoloridos, os xamãs subiram ao alto do morro San Cristóbal, na cidade de Lima, para fazer suas previsões, após espalharem um lençol de flores e folhas de coca, com caveiras no chão e incenso, em cerimônia que realizam todos os anos no final de dezembro.

"A Ucrânia e a Rússia, antes de agosto será assinada uma paz, já está entrando nessa fase; embora haja (momentos) com força nestes dias ou nestes meses, mas depois tudo isso se acalmará, a paz chegará, tranquilidade, foi o que vimos", disse Cleofe Sedano, uma feiticeira que usava uma gorra ornamentada.

A Rússia rejeitou nesta quarta-feira o plano de paz de 10 pontos do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, dizendo que as propostas para acabar com o conflito na Ucrânia devem levar em conta o que chama de "as realidades atuais" das quatro regiões ucranianas que se uniram à Rússia.

O presidente ucraniano tem promovido seu plano de paz anunciado em novembro, discutindo-o com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e outros líderes, e instando os líderes mundiais a realizarem uma Cúpula Mundial pela Paz.

Depois de dançar em roda e tocar instrumentos andinos, os xamãs também postaram uma foto do ex-astro do futebol Pelé, também se referindo ao futuro daquele que é considerado um dos melhores jogadores de futebol de todos os tempos. Pelé, aos 82 anos, luta contra um câncer.

"A situação do Pelé está piorando, está piorando sua situação, sua saúde, e praticamente ano que vem (2023) ele vai partir para a glória", disse Cleofe.

Feiticeiros e curandeiros peruanos também previram desastres naturais, como terremotos e eventos climáticos na América do Norte para 2023.

"No próximo ano haverá um terremoto, mas não na capital do Peru, mas em outro lugar, principalmente no exterior, na parte norte da América, que pode ser os Estados Unidos, haverá muitas tragédias, principalmente climáticas", disse o xamã Walter Alarcón.

(Reportagem de Alfredo Galarza e Anthony Marina, da Reuters TV)