Xand Avião comemora 20 anos de carreira e momento propício para o forró: 'Não existe quem não goste'

Xand Avião não quer ser esquecido, ele diz. Quer passear pelas ruas e ser parado para tirar selfies com fãs, quer continuar a ser conhecido e reconhecido pelo seu trabalho. Mas para quem lê parece que o receio não faz nem sentido, está longe de se tornar realidade. Depois de 20 anos de carreira (que completa esse ano), o cantor de forró está mais atual do que nunca — as últimas parcerias foram com revelações recentes do gênero como Matheus Fernandes, MC Mari e Mari Fernandez. Xand se reinventou como empresário, lançou um festival de piseiro, colocou hits no topo dos charts e manteve a agenda lotada. Tão lotada que deu esta entrevista via Zoom de dentro do carro, estacionado, claro. Isso sem contar os quase 10 milhões de seguidores no Instagram e oito milhões de ouvintes mensais no Spotify.

— Depois de tanto tempo, a gente tem que se reinventar. O forró está muito bem representado, essa nova safra com Tarcísio do Acordeon, Matheus Fernandes, João Gomes, Zé Vaqueiro, Nathan, Mari Fernandez e outros, é muito boa e eu não quero ficar para trás. Torço para eles ainda terem 20, 30 anos de carreira, mas eu quero estar no meio deles — avalia Xand.

A experiência de duas décadas de estrada, iniciadas no grupo Aviões do Forró, deu ao cantor bagagem não só de palco, mas de mercado. Além da produtora musical, Vybbe (ver matéria na pág xx), Xand montou o Viiixe!, festival de piseiro — gênero derivado do forró que ganhou força no país todo durante a pandemia. O evento teve treze edições só em 2022, passando por Belém, Maceió, Goiânia, Fortaleza, e São Paulo, por exemplo.

Essa parceria com a nova geração, que se estende dos estúdios da Vybbe para os palcos do Viiixe!, é uma via de mão dupla: Xand Avião oferece aos mais novos estrutura e estes, por sua vez, ajudam Xand a se manter atualizado das tendências. Se nos anos 2000, ganhou o Brasil ao lado de Solange Almeida com “Chupa que é de uva”, em 2022 chegou ao topo dos charts com “Balanço da rede”, ao lado do jovem Matheus Fernandez.

— Eu sempre participei do Villa Mix, do Festeja, que são grandes festivais sertanejos. E falo sem vergonha nenhuma que eu quis copiar eles porque achava muito massa. Pensei em fazer então um festival só de forró, deu certo — diz Xand Avião, acrescentando que o período de pandemia ajudou a alavancar o gênero. — O forró nunca viveu uma época tão boa, fiquei muito feliz em ver que as pessoas se permitiram e viram o ritmo com outros olhos. Falo que quem não gosta de forró é porque não conhece, não existe quem não goste de forró.

Quando Xand saiu do interior do Rio Grande do Norte, onde cantava em barzinhos, para tentar o sucesso em Fortaleza, se deparou com bandas já consagradas como Calcinha Preta e Limão com Mel, como então faria para que a Aviões do Forró ganhasse seu espaço? Resolveram dar tchau ao romantismo, deixar de lado aquele forró clássico para dançar agarradinho e trazer o ritmo para a pista.

— Estava faltando uma banda que tocasse um forró mais animado. Quando você fala em Aviões do Forró é para poder tocar no churrasco, chamar a galera, confraternizar com os amigos. Foi o nosso diferencial — opina Xand Avião.

A característica de clima de festa foi tão levada a sério pela banda que, desde 2016, acontece anualmente a “Aviões Fantasy” — uma das maiores festas à fantasia do Brasil. Com shows de variados artistas, o evento propõe um novo tema a cada ano e, para 2022, foi escolhido “Time Machine” (Máquina do Tempo), onde o público e artistas convidados puderam soltar a imaginação em uma viagem pelo tempo. A ideia era fazer um paralelo com os 20 anos de carreira de Xand.

— A gente se inspira muito na Tomorrowland, uma festa eletrônica que tem lá na na Bélgica. Sou fã de tudo que eles fazem, me inspiro ali. E quero fazer só em Fortaleza, para as pessoas viajarem para cá para conhecer — conta ele, que revela que adora música eletrônica, vez ou outra ataca de DJ, só não teve coragem ainda de performar um set em um de seus shows.