Xangai cerca áreas afetadas pela Covid e gera novos protestos

·2 min de leitura
Cercas verdes bloqueiam entradas de lojas e unidades habitacionais em rua de Xangai

Por Brenda Goh e Jacqueline Wong

XANGAI (Reuters) - As autoridades de Xangai, que lutam contra um surto de Covid-19, ergueram cercas do lado de fora de prédios residenciais, provocando novos protestos públicos contra o lockdown que está forçando grande parte dos 25 milhões de habitantes da cidade chinesa a ficar dentro de casa.

Enquanto isso, o maior distrito de Pequim exigirá que todos que moram ou trabalham na área façam três testes de Covid nesta semana e isolou mais de uma dúzia de prédios depois que a capital chinesa registrou 22 novos casos no sábado. O distrito, Chaoyang, abriga 3,45 milhões de pessoas.

Em Xangai, imagens de trabalhadores em trajes de proteção brancos selando entradas de conjuntos habitacionais e fechando ruas inteiras com cercas verdes --com cerca de dois metros de altura-- se tornaram virais nas redes sociais, gerando dúvidas e reclamações dos moradores.

"Isso é tão desrespeitoso com os direitos das pessoas que estão dentro (dos prédios), usar barreiras de metal para enjaulá-los como animais domésticos", disse um usuário na rede social Weibo.

Um vídeo mostrou moradores gritando das varandas com trabalhadores tentando montar cercas. Os trabalhadores cederam e as levaram embora. Outros vídeos mostraram pessoas tentando derrubar as cercas.

Muitas das cercas foram erguidas em torno de conjuntos designados como "áreas vedadas" --edifícios onde pelo menos uma pessoa testou positivo para Covid-19, o que significa que os moradores estão proibidos de sair de suas residências.

Não ficou claro o que levou as autoridades a recorrer às cercas. Em um aviso compartilhado na internet com a data de sábado, uma autoridade local dizia que estava impondo uma "quarentena dura" em algumas áreas.

A Reuters não conseguiu verificar a autenticidade do aviso ou de todas as imagens, mas viu uma cerca verde em uma rua no centro de Xangai no domingo.

Nos últimos dias, a Reuters também viu policiais em trajes de proteção patrulhando as ruas de Xangai, bloqueando as ruas e pedindo aos pedestres que voltassem para casa.

O governo de Xangai não respondeu a um pedido de comentário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos