Xavi recusou convite para auxiliar Tite na Seleção e assumir comando da equipe após a Copa

·1 minuto de leitura

O ex-jogador e atual treinador Xavi Hernández, do Al-Sadd, do Catar, foi convidado pela CBF para assumir um cargo como auxiliar do técnico Tite. O convite ocorreu antes do espanhol assumir a sua atual equipe, em 2019.

A ideia do convite era que Xavi tivesse um contrato que durasse até a próxima Copa do Mundo, no Catar, em 2022, para, logo em seguida, assumir a equipe como treinador principal.

No entanto, Xavi recusou tanto a oferta brasileira quanto uma outra feita pelo Borussia Dortmund, da Alemanha, que propunha três anos de contrato ao jovem treinador. Atualmente de férias na Espanha, o nome de Xavi estaria novamente no radar do Barcelona, onde o ex-jogador foi ídolo atuando 1998 e 2015.

A notícia foi divulgada pelo portal espanhol "As". A CBF confirmou que procurou o espanhol para assumir o cargo, mas frisou que foram apenas conversas "preliminares". Também segundo o "As", o atual contrato de Xavi com o Al-Sadd prevê que o técnico teria de pagar uma multa no caso de trocar o clube pelo Barcelona.

Na atual temporada, sob o comando do técnico holandês Ronald Koeman, o Barcelona faz campanhas irregulares, com a eliminação na Liga dos Campeões ainda nas oitavas, para o PSG, e com a terceira colocação no Campeonato Espanhol (podendo ainda cair para quarto na última rodada). A equipe conquistou apenas a Copa do Rei, após vencer o Athletic Bilbao.