Xiaomi tem queda de receita no 3º tri

XANGAI (Reuters) - A fabricante chinesa de smartphones Xiaomi divulgou nesta quarta-feira uma queda de 9,7% na receita do terceiro trimestre, afetada por medidas de isolamento social na China e diminuição da demanda do consumidor.

O faturamento do terceiro trimestre atingiu 70,17 bilhões de iuans (9,81 bilhões de dólares), abaixo dos 78,063 bilhões no mesmo trimestre do ano anterior, ligeiramente abaixo das expectativas dos analistas de 70,52 bilhões de iuans.

O lucro líquido caiu 59,1%, para 2,12 bilhões de iuans, ante 5,176 bilhões um ano atrás.

O consumo na China permaneceu fraco no terceiro trimestre, pois as cidades de todo o país continuam implementando lockdowns para impedir a propagação do coronavírus.

As vendas de smartphones no terceiro trimestre caíram 11% na China e 9% globalmente, disse a empresa de pesquisa Canalys.

A receita de smartphones, que representam cerca de 60% das vendas totais da Xiaomi, caiu 11,1% ano a ano.

Em 2021, a Xiaomi viu um aumento nas vendas depois de conquistar participação de mercado da rival Huawei, cuja capacidade de adquirir componentes eletrônicos foi afetada por sanções dos Estados Unidos.

No entanto, o impulso durou pouco. Em maio, a Xiaomi relatou seu primeiro declínio trimestral de receita desde a listagem da empresa em 2018. Em agosto, a receita do segundo trimestre caiu 20% em relação ao ano anterior.

O preço das ações da Xiaomi acumula queda de quase 50% desde o início do ano.

A empresa, por sua vez, olhou para novas áreas de crescimento. No ano passado, a Xiaomi anunciou formalmente uma incursão em veículos elétricos, comprometendo-se a iniciar produção em massa no primeiro semestre de 2024.

(Por Josh Horwitz)