Xuxa chama Bolsonaro de genocida e pede que eleitores saiam de sua rede social

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***SAO PAULO, SP, BRASIL 16.12.2019 Xuxa Meneghel (apresentadora). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
***ARQUIVO***SAO PAULO, SP, BRASIL 16.12.2019 Xuxa Meneghel (apresentadora). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A apresentadora Xuxa, 58, está na bronca com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em vídeo reproduzido em suas redes sociais, ela repercutiu e respondeu ao presidente sobre o motivo de ele ter sido barrado no jogo do Santos no domingo (10).

Na ocasião, a Vila Belmiro recebeu público, e o presidente perguntou por qual razão não poderia entrar no estádio, que solicitava a todos comprovante de vacinação. Segundo ele, teria "mais anticorpos do que quem tomou a vacina".

"Estamos em uma pandemia, a lei serve para todos, porque assim protegemos as pessoas, já morreram 600 mil pessoas. Porque precisamos seguir o que os cientistas, médicos e a Organização Mundial da Saúde pedem", começou Xuxa.

Em outro trecho, ela xinga o presidente. "Quem não faz isso, não segue as regras mundiais é genocida (e ainda tem gente que vai querer argumentar). Por favor, deixe de me seguir, deixe de falar comigo. E você que é a favor da vida, assine o impeachment agora", publicou.

Em maio, Xuxa, a atriz Julia Lemmertz, o youtuber Felipe Neto, o ex-futebolista Walter Casagrande e o escritor Raduan Nassar assinaram um pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro protocolado pelo Movimento Vidas Brasileiras. A solicitação foi baseada na "condução desastrosa" da epidemia de Covid-19 pelo governo federal.

Em dezembro de 2020, a apresentadora já havia criticado Bolsonaro depois que ele decidiu zerar os impostos para importação de armas.

"Era o que estava faltando para a gente, compras de armas sem taxas, as praias cheias, os bares cheios, as lojas e ruas lotadas. Puxa, que orgulho do nosso país!", escreveu ela no Instagram.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos