Xuxa completa 57 anos, revela sua rotina na quarentena e admite: 'Não gosto de comemorar aniversário'

Hoje vai ser uma festa, bolo (vegano), guaraná e muito doce (vegano). É o aniversário dela, mas nada de receber os amigos... Xuxa completa 57 anos nesta sexta-feia e vai passar a data apenas na companhia da filha, Sasha, do namorado, Junno, e de seus bichos. São eles que têm acompanhado a Rainha dos Baixinho durante a quarentena em sua casa, na Barra, na Zona Oeste do Rio.

A apresentadora admite que não gosta mais de comemorar aniversário e que a vida caseira sempre fez parte do seu cotidiano. Em conversa com o EXTRA, Xuxa fala do aniversário e seus desejos para o futuro.

Xuxa, como será a celebração do aniversário nesse momento em que todos estamos de quarentena?

Xuxa: Não pretendo fazer nada. No máximo um bolo vegano. Não gosto de comemorar aniversário. Tive épocas na vida que tinha 3 festas seguidas: no dia 26, 27  28, acho que isso já deu pra vida toda. Nesse momento o mais importante é se informar, se proteger e proteger os outros. Não importa se é aniversário... Agora é a gente se cuidar e cuidar do próximo. Então, o meu aniversário vai ser me cuidando e cuidando do próximo.

Como você tem passado e enfrentado esse momento de quarentena?

Estou com a minha filha, o Ju e meus bichos. Diferentemente da maioria das pessoas que gostam de sair, ir pra barzinho, balada... Eu nunca curti isso, então eu fico em casa vendo seriado. Cai minha ficha quando eu vejo televisão, vejo que está esse pandemônio todo... Fico muito chateada, muito triste... Ter que viver uma coisa dessas... Ninguém quer passar por isso..

 

Qual é seu desejo para os próximos 57 anos? 

Espero ver minha filha com saúde e feliz, namorando alguém que a ame, tendo filhos lindos e saudáveis. Espero poder morrer ao lado do Ju. Espero poder deixar um legado legal, tipo as pessoas se lembrarem de mim com carinho. Espero poder ainda trabalhar por algum tempo, poder fechar o meu ciclo de trabalho, porque não me vejo morrendo na frente das câmeras, mas também não me vejo abandonando de uma hora pra outra. Eu quero ir aos poucos, fazendo coisas que as pessoas vejam que funciona com o meu tempo e a minha cabeça agora.