“Xuxa de Taubaté” supera depressão e ganha dinheiro fazendo paródias nas redes sociais

·4 minuto de leitura
A
A "Xuxa de Taubaté", Cintia Lopes curou uma depressão por conta da semelhança com a rainha dos baixinhos (Foto: Arquivo pessoal)

“Uma vez, estava chegando na Record, um rapaz que estava em um bar veio correndo na minha direção, me levantou no colo gritando: ‘Xuxa, eu te amo’. Eu fiquei nervosa, sem reação, pedindo para ele me soltar”, relembra Cíntia Lopes. Há sete anos, momentos curiosos como esse fazem parte da vida e da rotina da taubateana de 41 anos. 

Conhecida como Xuxa cover ou "Xuxa de Taubaté”, a modelo e atriz viu sua vida se transformar ao cortar o cabelo mais curto, como o da apresentadora famosa. Atualmente, com mais de 1,5 milhão de seguidores no TikTok, ela dubla, canta, faz paródias e realiza a vontade dos fãs de ver uma sósia da rainha dos baixinhos se empolgando com as trends da internet. Já são mais de 8 milhões de curtidas em seus vídeos.

Leia também:

“Primeiro, as pessoas entravam e viam a Xuxa fazendo dublagem, mas logo depois percebiam que era uma tal de Cíntia. A partir daí, vi meus seguidores aumentarem porque as pessoas gostam de ver alguém parecida com a Xuxa fazendo comédia”, explica. “Mas tem gente que acredita que é a própria Xuxa, chegam a discutir comigo nos comentários, não concordam quando digo que não sou ela, dou muita risada”, se diverte.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A reviravolta na vida da modelo aconteceu por acaso. Em meados de 2014, Cíntia enfrentava um ano difícil, por conta da exaustão de sua saúde mental. Ao ser diagnosticada com depressão, ela teve que cortar os cabelos longos que manteve durante a vida toda.

“Não me alimentava direito, só queria ficar trancada dentro do quarto, sem ver ninguém. Meu cabelo caiu muito por causa dos problemas e precisei cortar durante o tratamento com remédios. Quando chegou nesse corte que uso hoje, meus amigos começaram a me apelidar de Xuxa, e ali começou tudo, como uma brincadeira”, relembra.

Depois de alguns meses de acompanhamento médico, Cíntia começou a se forçar a sair de casa e tentar ver a vida sob outra perspectiva. Foi a partir daí que tudo começou a mudar. “As pessoas começaram a me olhar diferente, o cabelo curto chamava muita atenção. Comecei a ser chamada para fazer a plateia de frente de programas de TV. Meu marido me incentivava muito porque ele queria me ver bem, queria que eu saísse. Então, os artistas e produtores de TV começaram a me chamar de Xuxa também, isso me deixava muito feliz porque sempre fui fã da Xuxa.”

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O encontro da original com a sósia

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Após o primeiro encontro com a Xuxa real depois de um show no parque do Ibirapuera, em São Paulo, naquele mesmo ano, Cíntia decidiu criar uma página nas redes sociais como Xuxa cover e o sucesso foi só questão de tempo. “Passei a receber muito carinho dos próprios fãs e aí começaram a rolar convites para eventos em ONGs e creches de crianças carentes. Comecei a me dedicar, a fazer alguns figurinos para alegrar essas crianças, dali eu descobri o que eu queria fazer pelo resto da vida.”

Cíntia, que já era fã de Xuxa, passou a observar mais a apresentadora. Para aperfeiçoar os trejeitos e a forma como a apresentadora é na vida real. E desde então passou a seguir a cantora em programas de TV e eventos abertos pelo Brasil. 

“Até que durante uma inauguração de uma Casa X, em São Paulo, criei coragem e falei para a própria Xuxa me chamar para trabalhar, ela pegou meu telefone na mesma hora. Um mês depois, a Record me ligou e eu fiz um trabalho de dublê com ela. Foi uma experiência maravilhosa, até hoje não acredito que isso aconteceu. Ela me tratou muito bem, muito carinho, como se fossemos próximas. Depois, também fui chamada para ser dublê dela em um comercial de uma marca de carros.

Casada e mãe de dois filhos, Cíntia conta que não vive como Xuxa 24 horas por dia. Para interpretar a Rainha dos Baixinhos, ela usa lentes de contato azuis já que seu olho é castanho. Mesmo assim é reconhecida na rua. 

“Às vezes vou ao mercado vestida de Cíntia mesmo, e as pessoas me pedem para tirar foto. Até me preocupo em estar mais arrumada porque gosto de receber todos dessa forma. Em Taubaté (interior de São Paulo), onde moro, o pessoal tem mais timidez, acho que pelo fato de as pessoas saberem que eu sou a cover, não é todo mundo que se aproxima, mais os fãs mesmo. Mas quando estou em São Paulo ou no Rio o assédio é maior. As pessoas acham que é a Xuxa de verdade”.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Até gente conhecida já se enganou com a sósia. “Uma vez, chegando dentro de uma van na Record, um cantor famoso veio correndo tirar foto comigo. O pessoal que estava no carro deu muita risada. Ele percebeu que eu não era a Xuxa, mas só depois que tirou a foto e saiu. Ele deve ter raiva de mim por ter pagado mico”, relembra rindo.

Cíntia atribui a superação da depressão à providência divina e à própria Xuxa. “Acredito que foi um empurrão de Deus ficar parecida com uma pessoa que é tão iluminada. As pessoas se aproximaram de mim por causa dela e muitos dizem que tenho a luz que ela tem.”

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos