Xuxa fala sobre reação da Globo ao saber que iria para a Record: ‘Você será nossa inimiga’

Redação
Instagram / @xuxamenegheloficial

Xuxa relembrou o tempo em que decidiu trocar décadas de trabalho na Globo para atuar em um programa ao vivo na Record TV.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!


Em entrevista ao colunista Leo Dias, do UOL, a apresentadora relatou que não foi uma transição tranquila. Ela conta que os diretores da Globo sabiam que SBT e Record a estavam ‘sondando’ para novos trabalhos. “Eles (na Globo) disseram: ‘Se você for para o SBT, tudo bem. Agora, se você for para Record, aí não é beleza. Você será nossa inimiga”, afirmou.

Leia também

Preconceito


Xuxa também desabafou que as pessoas têm resistência em relação à Record TV. “A gente tem um preconceito quando fala da Record. Eu tinha esse preconceito. Aí, quando conheci as pessoas que trabalham lá... chegar na idade que cheguei e ter uma emissora e profissionais que querem me ver feliz, a gente muda o pensamento”, disse.
Na entrevista, Xuxa chegou a pedir uma “chance” para que o telespectador assista ao programa dela. “Gostaria que as pessoas me dessem a chance pelo menos uma vez. A qualidade é muito boa”, garantiu.

Briga com Ivete Sangalo

Durante a entrevista, Leo Dias perguntou para Xuxa se é verdade que ela e Ivete Sangalo brigaram no passado. “Sim. Mas já está tudo resolvido”, resumiu a apresentadora, sem dar detalhes sobre o conflito.
Segundo o colunista, a discussão teria começado depois que Xuxa recebeu, em um grupo fechado de WhatsApp, foto das filhas da cantora e publicou a imagem, o que desagradou Ivete.

  • Dani Albuquerque não fala mais com Luciana Gimenez, que tem espaço na TV ameaçado
    Notícias
    Extra

    Dani Albuquerque não fala mais com Luciana Gimenez, que tem espaço na TV ameaçado

    Todo clã que se preza tem lá suas tretas. Se até o Príncipe Harry renunciou aos deveres da coroa...

  • 'Se tivesse medo de homem, não dormia com um', diz prefeito de Lins após ataques
    Notícias
    Yahoo Notícias

    'Se tivesse medo de homem, não dormia com um', diz prefeito de Lins após ataques

    Entrevista viralizou após prefeito de cidade no interior de São Paulo desabafar ao responder sobre ataques homofóbicos

  • Moro chama mensagens de bobageirada e pede para Gilmar assumir responsabilidades
    Notícias
    Folhapress

    Moro chama mensagens de bobageirada e pede para Gilmar assumir responsabilidades

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ministro da Justiça, Sergio Moro, disse nesta segunda-feira (20) considerar uma "bobageirada" a publicação de reportagens sobre conversas suas no aplicativo Telegram e criticou declaração do ministro do Supremo Gilmar Mendes a respeito da divulgação de áudio de telefonema entre os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff em 2016. Desde junho passado, o site The Intercept Brasil e outros veículos têm publicado uma série de reportagens com mensagens de autoridades da Lava Jato que mostram que havia colaboração entre Moro e o chefe da força-tarefa, Deltan Dallagnol. As conversas apontam, por exemplo, que o então juiz orientou a respeito da ordem de fases da operação, indicou uma prova para uma denúncia do Ministério Público e sugeriu uma testemunha. Em entrevista ao Roda Viva nesta segunda, Moro disse que o tema é "um episódio menor" em seu primeiro ano no governo federal.  "Sinceramente nunca dei muita importância para isso. Acho que ali tem um monte de bobageirada, nunca entendi muito bem a importância [dada] para aquilo. Agora, foi usado politicamente para tentar, vamos dizer assim, soltar criminosos presos, pessoas que tinham sido condenadas por corrupção e, principalmente, tentar enfraquecer politicamente o Ministério da Justiça." Moro foi questionado também sobre sua decisão, na época em que era o juiz responsável pela Lava Jato, de tirar o sigilo de conversas telefônicas entre Lula e Dilma em março de 2016, em uma iniciativa que acabou aumentando a pressão pelo impeachment da então presidente. Após aquela medida de Moro, Gilmar Mendes concedeu uma liminar suspendendo a nomeação de Lula para a Casa Civil do governo, diante da suspeita de obstrução de Justiça. Em entrevista no ano passado, Gilmar afirmou que hoje tem "muitas dúvidas" sobre o assunto. "Muito mais dúvidas do que certeza e lamento muito esse tipo de manipulação." Nesta segunda, Moro defendeu sua medida na ocasião, mas disse que é atribuída ao áudio uma importância que não existe. "É muito facil [afirmar:] '2016, ah, não tenho culpa nenhuma, fui manipulado'. Não existe nada disso. Ele [Gilmar] tomou a decisão dele na época, ele assuma a responsabilidade pela decisão que ele tomou. Nada ali foi objeto de manipulação ou qualquer espécie de falsidade." Na entrevista, Moro falou sobre a possibilidade de ser nomeado para o Supremo por Bolsonaro, em vaga que será aberta neste ano. O presidente já defendeu que pretende indicar alguém "terrivelmente evangélico" para o cargo. Moro afirmou que a religião não é um fator fundamental para a escolha e disse ser católico. O ministro da Justiça também foi questionado no programa a respeito de ataques do presidente Jair Bolsonaro a jornalistas. Disse que não falaria especificamente sobre o comportamento do presidente, mas afirmou que Bolsonaro "tem sido criticado e muitas vezes ele reage". Em outros momentos da entrevista, que marcou a estreia da jornalista Vera Magalhães à frente do programa, disse respeitar uma "cadeia de comando" quando existem divergências com Bolsonaro. Sobre a sanção pelo presidente do pacote anticrime, com diversos pontos sobre os quais Moro é crítico, disse que Bolsonaro entendeu que, se vetasse determinados trechos, acabaria sendo derrotado posteriormente na Câmara. Para o ministro da Justiça, a implantação da figura dos juízes das garantias, magistrados que ficarão responsáveis apenas pelas investigações de casos na Justiça, só pode ser concretizada se for editada uma nova lei, com o texto atual sendo considerado inconstitucional. "Não é uma prioridade para a melhoria do nosso sistema judiciário." Questionado sobre os motivos de não se manifestar acerca de assuntos como a defesa da ditadura militar por integrantes do governo ou o ataque à produtora do grupo Porta dos Fundos, no fim do ano passado, o ministro disse que não é um "comentarista sobre tudo". Sobre a saída do secretário nacional da Cultura, Roberto Alvim, que foi demitido na sexta-feira (17) após discurso no qual parafraseou Joseph Goebbels, ministro da Propaganda da Alemanha nazista, Moro chamou o caso de "episódio bizarro" e disse que não se pronunciou porque o presidente já havia decidido demitir o subordinado.

  • Estudante foi eliminada do Enem no lugar de sua xará
    Notícias
    O Globo

    Estudante foi eliminada do Enem no lugar de sua xará

    Rebecca Campos foi confundida com candidata homônima, que teve sua prova recolhida por causa de toque de celular. Depois de caso viralizar nas redes sociais, erro foi corrigido pelo Inep

  • Príncipe Harry chega ao Canadá para iniciar nova vida com Meghan e seu filho
    Notícias
    AFP

    Príncipe Harry chega ao Canadá para iniciar nova vida com Meghan e seu filho

    O príncipe Harry viajou para o Canadá para encontrar sua esposa, Meghan, e seu filho, Archie, com quem inicia uma nova vida "mais independente", após o polêmico anúncio de sua retirada da família real britânica. A mudança, entretanto, não conseguiu livrar o casal dos paparazzis.

  • Erika Januza fala de racismo em relacionamentos: 'Ficar escondido, pode; assumir são outros 500'
    Notícias
    Extra

    Erika Januza fala de racismo em relacionamentos: 'Ficar escondido, pode; assumir são outros 500'

    Há quem questione o uso da palavra empoderamento, mas ela ainda é a que melhor dá conta de explicar...

  • Cadeia em Roraima tem surto de bactéria que corrói pele
    Notícias
    Yahoo Notícias

    Cadeia em Roraima tem surto de bactéria que corrói pele

    A penitenciária agrícola de Monte Cristo tem capacidade para 500 pessoas, mas abriga cerca de 1,3 mil

  • Decisão de Gilmar Mendes proíbe investigação sobre Glenn no caso das mensagens vazadas
    Notícias
    Extra

    Decisão de Gilmar Mendes proíbe investigação sobre Glenn no caso das mensagens vazadas

    Agora, a defesa pode, em tese, entrar com uma reclamação no STF alegando que a decisão de Mendes foi descumprida. Eventual pedido seria analisado pelo ministro Luiz Fux, vice-presidente da Corte

  • Aposentados e pensionistas do INSS que ganham salário mínimo recebem R$ 1.039 a partir de segunda-feira
    Notícias
    Extra

    Aposentados e pensionistas do INSS que ganham salário mínimo recebem R$ 1.039 a partir de segunda-feira

    Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que têm benefícios de...

  • Sob forte esquema de segurança, Marcola passa por exames médicos em Brasília
    Notícias
    Folhapress

    Sob forte esquema de segurança, Marcola passa por exames médicos em Brasília

    BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O chefe máximo do PCC (Primeiro Comando da Capital), Marco Camacho, o Marcola, passou na manhã desta terça-feira (21) por exames médicos em um hospital em Brasília.  Marcola está preso desde o início do ano passado na Penitenciária Federal de Brasília. Ele foi levado de helicóptero da prisão ao Hospital de Base, na região central da capital federal. Todo o deslocamento foi feito sob forte esquema de segurança, com a participação de agentes da Polícia Federal, Depen (Departamento Penitenciário Nacional) e Força Nacional.  "A Penitenciária Federal de Brasília em parceria com a Força Nacional de Segurança e Polícia Federal realizou hoje uma escolta de preso para exames de rotina. Horário, período de férias escolares e deslocamento aéreo foram escolhidos para causar o menor constrangimento possível para a população. Não houve congestionamentos e alterações significativas na rotina da região", disse o Depen em nota.  Marcola foi transferido a Brasília em março de 2019. Ele estava na unidade de segurança máxima de Porto Velho (RO), onde permaneceu por pouco mais de um mês. Antes de chegar a Rondônia, Marcola cumpria sentença na Penitenciária II de Presidente Venceslau, no estado de São Paulo. O chefe do PCC foi condenado a mais de 300 anos de prisão. Na madrugada de 19 de janeiro, 75 presos, a maioria membros do PCC, fugiram de uma prisão em Pedro Juan Caballero, no Paraguai. A fuga fez com que o ministro Sergio Moro (Justiça) fosse ao Twitter para dizer que o governo, junto aos estados, está trabalhando para impedir a entrada desses fugitivos no Brasil.  "Estamos à disposição também para ajudar o Paraguai na recaptura desses criminosos. O Paraguai tem sido um grande parceiro na luta contra o crime", escreveu o ministro.

  • Deputado do Irã oferece US$ 3 milhões por 'cabeça' de Trump
    Notícias
    AFP

    Deputado do Irã oferece US$ 3 milhões por 'cabeça' de Trump

    Um deputado iraniano ofereceu três milhões de dólares para quem matar o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para vingar a morte do importante militar iraniano em um ataque americano no Iraque, informou a agência ISNA nesta terça-feira.

  • Petrobras vai demitir funcionário aposentado após reforma da Previdência
    Notícias
    O Globo

    Petrobras vai demitir funcionário aposentado após reforma da Previdência

    Companhia também não informou como será feito o processo de desligamento

  • STF, Rodrigo Maia e entidades da imprensa condenam denúncia contra Glenn Greenwald
    Notícias
    Yahoo Notícias

    STF, Rodrigo Maia e entidades da imprensa condenam denúncia contra Glenn Greenwald

    O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF) contra Glenn Greenwald é "uma ameaça à liberdade de imprensa"

  • IR 2020: Veja quais documentos necessários para fazer a declaração
    Notícias
    Extra

    IR 2020: Veja quais documentos necessários para fazer a declaração

    O ano mal começou, mas já é hora de começar a reunir os documentos para acertar as contas com o...

  • Após hora extra no CT, Jesus vai acompanhar Flamengo contra o Vasco no Maracanã
    Notícias
    Extra

    Após hora extra no CT, Jesus vai acompanhar Flamengo contra o Vasco no Maracanã

    Depois de passar mais de dez horas no Centro de Treinamento Ninho do Urubu, em seu primeiro dia de...

  • Contra desmatamento na Amazônia, Bolsonaro copia proposta do PT
    Notícias
    Folhapress

    Contra desmatamento na Amazônia, Bolsonaro copia proposta do PT

    Em 22 de julho de 2008, Lula assinou o decreto 6.515, para a instituir a Guarda Ambiental Nacional e o Corpo de Guarda-Parques. As medidas não foram levadas adiante, mas a normativa nunca foi revogada

  • Hillary Clinton diz que 'ninguém gosta' de Bernie Sanders
    Notícias
    AFP

    Hillary Clinton diz que 'ninguém gosta' de Bernie Sanders

    A ex-chefe da diplomacia americana Hillary Clinton atacou Bernie Sanders, um de seus principais rivais nas primárias democratas de 2016, assegurando em um documentário que "ninguém gosta dele".

  • Empresa faz recall de remédio para úlcera gástrica após recomendação da Anvisa
    Notícias
    Folhapress

    Empresa faz recall de remédio para úlcera gástrica após recomendação da Anvisa

    SÃO PAULO, SP(FOLHAPRESS) - A Medley, empresa de medicamentos genéricos que faz parte do grupo Sanofi, anunciou nesta segunda (20) o recolhimento do remédio Ranitidina (150 mg e 300 mg), que inibe a produção de ácido pelo estômago e é normalmente utilizado no tratamento de úlcera gástrica.  A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomendou maior controle de drogas que levem nitrosaminas em sua composição. Essas substâncias são usadas na fabricação de remédios e podem causar câncer em caso de exposição prolongada. A Medley diz que a decisão foi tomada após possível contaminação por  N-nitrosodimetilamina - composto membro da classe das nitrosaminas - de cerca de 50 lotes do medicamento. Apesar de a Anvisa não ter determinado um recall das farmacêuticas, a agência publicou um comunicado em que recomenda que empresas reavaliem os seus métodos de processamento de nitrosaminas.  "A decisão é de precaução, o mesmo que ocorreu em 2019, quando ações foram adotadas após a detecção de nitrosaminas nos princípios ativos conhecidos como 'sartanas', como a losartana e a valsartana, ingredientes utilizados na fabricação de medicamentos para o tratamento de hipertensão arterial (pressão alta)", diz o comunicado. De acordo com o Procon de São Paulo, aqueles que compraram algum dos lotes de Ranitidina têm o direito de ter seu medicamento trocado por outro que não tenha sido contaminado ou receber o seu dinheiro de volta.  Além disso, o órgão recomenda àqueles que compraram o remédio que não façam uso, conservem as embalagens e entrem em contato com a empresa pelo telefone: 0800 729 8000.

  • Vírus misterioso saiu da China e já afetou mais 3 países; cientistas falam em 1.700 infectados
    Notícias
    Yahoo Notícias

    Vírus misterioso saiu da China e já afetou mais 3 países; cientistas falam em 1.700 infectados

    Ministério da Saúde do Brasil enviou um comunicado às autoridades Anvisa para que viajantes que passem por portos e aeroportos sejam orientados a tomar medidas de precauções em viagens ao exterior

  • 'Estamos passando por um desmonte usando a cultura’, diz pró-reitor de Cultura da Unicamp
    Notícias
    HuffPost Brasil

    'Estamos passando por um desmonte usando a cultura’, diz pró-reitor de Cultura da Unicamp

    "As virtudes da fe, do autossacrificio, da lealdade e da luta contra o malserao alçadas ao territorio sagrado das obras de arte", diz Alvim, no videoque depois foi retirado do ar - mais pela repercussao que causou entre acomunidade judaica do que pelo seu conteudo em si, que Bolsonaro nem achouruim.

  • 'Você não acredita na Justiça?', diz Bolsonaro sobre denúncia contra Glenn
    Notícias
    Yahoo Notícias

    'Você não acredita na Justiça?', diz Bolsonaro sobre denúncia contra Glenn

    Presidente questionou inicialmente se Glenn ainda mora no Brasil. "Não devia nem estar. Onde está esse cara? Ele está no Brasil?", perguntou

  • Republicanos rejeitam convocação de testemunhas em julgamento político contra Trump
    Notícias
    AFP

    Republicanos rejeitam convocação de testemunhas em julgamento político contra Trump

    O julgamento político contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, entrou em uma nova etapa nesta quarta-feira (22) depois que o Senado debateu até altas horas da noite as regras do processo e os republicanos bloquearam todos as tentativas dos democratas de convocar autoridades como testemunhas.

  • Cristina Kirchner assume Presidência de forma interina e militância se anima
    Notícias
    Folhapress

    Cristina Kirchner assume Presidência de forma interina e militância se anima

    BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - A partir das 14h desta terça-feira (21), Cristina Kirchner voltará a ser presidente da Argentina, de forma interina. Neste horário, decola o avião em que o presidente Alberto Fernández viaja com sua comitiva para Jerusalém. Será uma interinidade de quatro dias. Porém, poucos dias depois, o presidente voltará a viajar, por uma semana, desta vez para a Europa, onde terá um encontro com o papa Francisco e visitará outros chefes de Estado. A lista de países ainda não foi confirmada. Apesar do curto período no posto, a militância se animou. A hashtag CristinaPresidente foi parar nos trending topics (assuntos mais comentados) do Twitter e militantes preparam uma homenagem para o horário em que ela voltará à função que exerceu por oito anos (2007-2015).  Ao voltar nesta terça-feira à Presidência, Cristina terá completado 1.503 dias longe do principal posto do país, desde que entregou o poder ao adversário Mauricio Macri, em 2015. Apesar da festa dos militantes e da cara feia dos opositores, Cristina Kirchner não quer muita atenção voltada a essa interinidade. Decidiu, por exemplo, que não irá para a Casa Rosada -onde há um escritório para a vice-presidente, que ela desde o início disse que não quer usar. Prefere ficar no seu escritório no Senado, segundo seus assessores, "para não criar expectativas nem especulações".  Cristina retornou há poucos dias de Cuba, onde tem ido regularmente para visitar a filha, internada por uma severa depressão e por um linfedema (inchaço no sistema linfático). Ao voltar, retomou a atividade em seu Twitter, onde tem opinado bastante sobre o caso Nisman -a morte misteriosa do promotor que a acusou de obstrução de Justiça e que resultou em um processo a que ainda está respondendo- e opinou positivamente sobre o documentário da Netflix sobre o caso, do britânico Justin Webster. Apesar de estar respondendo a nove processos na Justiça, Cristina pode ser condenada, porém não presa, por conta do foro privilegiado que a protege enquanto for vice-presidente. O caso Nisman, que completou cinco anos na semana passada, provocou um ato na praça de Maio em que centenas de pessoas compareceram, a maioria delas carregando cartazes contra Cristina, que a acusavam de ter sido a autora intelectual de um possível assassinato.

  • Ex-presidente da Interpol é condenado a 13 anos de prisão na China
    Notícias
    AFP

    Ex-presidente da Interpol é condenado a 13 anos de prisão na China

    Ex-presidente da Interpol, o chinês Meng Hongwei foi condenado a 13 anos e seis meses de prisão por corrupção - anunciou a Justiça chinesa nesta terça-feira (21).

  • Clipe de Pabllo é restrito e cantora fala em "censura seletiva"
    Notícias
    Yahoo Notícias

    Clipe de Pabllo é restrito e cantora fala em "censura seletiva"

    Vídeo recebeu uma restrição para que apenas maiores de idade possam ver a publicação.