Ex-BBB Elana dispara sobre machismo em 'No Limite': "Não existe sexo frágil"

Resumo da notícia

  • Em papo com o Yahoo, Elana Valenaria falou sobre preconceito e machismo dentro do reality 'No Limite'

  • A ex-BBB questionou o preconceito que faz com que os homens ainda sejam considerados os mais fortes e resistentes nas provas do programa

  • "No papo, Elana também falou sobre vida amorosa e Juliette no 'BBB21'

A ex-'BBB19' Elana Valenaria entrou na quinta edição de 'No Limite' sem saber o que esperar dos desafios físicos e mentais da atração, e em papo com o Yahoo! Entrevista contou que ficou satisfeita ao ver que o estereótipo sobre "mulher frágil" caiu por terra na atração. Paula Amorim foi a vencedora do reality de resistência, e Elana uma das finalistas.

"Ganhei muitos elogios ao ver a garra da mulherada, que eu dei de olé em muitos homens. As vezes a gente sentia algo inconsciente dos meninos, não que eles estivessem sendo machistas. Eu e a Paula fomos muito bem acolhidas, mas acredito que as pessoas de fora têm a visão de que os homens vão se dar melhor", explicou ela. Durante a atração, Paula precisou conversar com os homens para dizer que ela seria capaz de fazer qualquer prova, e disparou: "Eu sou capaz de ganhar de qualquer homem aqui dentro".

Para Elana, todos os competidores estavam em pé de igualdade, e o reality teve esse efeito positivo diante do público. "Estética não quer dizer força, é muito mais psicológico. A gente competia as mesmas provas, no mesmo nível. Não foi a toa que uma mulher ganhou. O que eu achei muito massa é que o No Limite mostrou que não existe sexo frágil", completou.

Sobre vida amorosa após participar de mais um reality, Elana deu risada ao dizer que sua DM anda vazia. "Gente do céu, se eu não pegava ninguém antes do No Lmite, imagina depois, que me viram comendo barata. Parece que as pessoas têm medo da gente, o povo não chega, e eu pensando, eu não sou tão feia assim não", riu.

Elana também relembrou sua passagem pelo 'BBB19', e elogiou a vitória de Juliette e a representatividade feminina e nordestina no 'BBB21'. "A Juliette, por exemplo, no começo ela não estava sendo amada, o povo estava com ranço dela aqui fora. Pra você ver como tudo muda em horas em um reality. O perfil dela, a simplicidade, acho muito cativante. Ela merece tudo".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos