Yellen planeja viajar em breve à China para estreitar cooperação macroeconômica

A secretária americana do Tesouro, Janet Yellen, planeja viajar em breve à China para estreitar as relações bilaterais, após ter se reunido com seu homólogo chinês nesta quarta-feira (18) na Suíça.

Yellen "deseja viajar à China e dar boas-vindas para seus homólogos nos Estados Unidos em um futuro próximo", disse o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, após o encontro entre a secretária com o vice-primeiro-ministro chinês Liu He, em Zurique.

As autoridades americanas confirmaram na véspera que o secretário de Estado, Antony Blinken, visitará Pequim em 5 e 6 de fevereiro.

As divergências entre as duas primeiras economias mundiais dispararam durante o governo de Donald Trump e continuam com Joe Biden, mesmo que moderadamente.

As duas potências travam uma disputa estratégica e são os países que mais investem em seus exércitos.

No entanto, Biden e o presidente chinês Xi Jinping disseram em uma reunião de novembro na Indonésia, na cúpula do G20, que querem diminuir a tensão.

O encontro entre Yellen e Liu foi "substancial e construtivo", disse nesta quarta-feira o Departamento do Tesouro.

Ambos "concordaram que é importante para o bom funcionamento da economia global fortalecer a comunicação sobre assuntos financeiros e macroeconômicos".

Também concordaram na "importância de um desenvolvimento sustentável e que fortalecerão a cooperação no financiamento climático, com bases bilaterais e multilaterais".

As tensões foram exacerbadas em agosto passado, quando a então presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, visitou Taiwan, ilha autônoma que Pequim considera parte de seu território.

A irritação levou a China a lançar manobras militares em grande escala sem precedentes na região.

A viagem de Blinken será a primeira deste nível desde a de seu antecessor republicano Mike Pompeo, em outubro de 2018. O anúncio foi feito à margem do encontro entre os presidentes dos Estados Unidos e da China em Bali, no qual os dois líderes pediram calma. As datas não foram anunciadas oficialmente na época.

Nos últimos três anos, a rivalidade entre as duas maiores economias do mundo se intensificou à medida que a China ganha força e confiança, o que gera um medo crescente nos Estados Unidos.

Yellen fez escala em Zurique antes de embarcar em uma viagem por Senegal, Zâmbia e África do Sul para reforçar os vínculos econômicos com os Estados Unidos, enquanto a China aumenta sua influência no continente africano.

nl/apo/rjm/avl/mb/ms/ap