Yepes diz que Colômbia de 2014 não levaria 7x1 da Alemanha

Ex-zagueiro da Colômbia, Mario Yepes afirmou que sua seleção não teria perdido como o Brasil perdeu em 2014.
Ex-zagueiro da Colômbia, Mario Yepes afirmou que sua seleção não teria perdido como o Brasil perdeu em 2014. Foto: (Michael Steele/Getty Images)

Eliminado pela Seleção Brasileira nas quartas de final da Copa do Mundo de 2014, o ex-zagueiro colombiano Mario Yepes alfinetou o elenco brasileiro da época ao dizer que, caso a sua seleção passasse para as semifinais, a Colômbia não teria perdido por 7 a 1 como aconteceu no Estádio do Mineirão.

Capitão da Colômbia naquele Mundial, Yepes concedeu entrevista ao One Football afirmando que: "Não sei se teríamos avançado para a semifinal, mas se nós tivéssemos empatado o jogo e conseguido a vitória, nós poderíamos jogar a final. Não acho que a Alemanha faria com a Colômbia o que fez com o Brasil. É o que eu acho, mas sem ter jogado, você nunca sabe o que poderia ter acontecido".

Leia também:

Nas quartas de final, aos 21 minutos do segundo tempo, quando o Brasil vencia por 1 a 0, a Seleção Colombiana teve um gol anulado marcado exatamente por Yepes: "Mas este gol não ter sido um gol é muito doloroso para todos nós colombianos porque a tecnologia não estava lá na Copa do Mundo do Brasil. O meu melhor gol foi anulado e foi aquele que marcamos contra o Brasil, que teria empatado o jogo nas quartas de final. Se nós tivéssemos a tecnologia que nós temos hoje, o gol provavelmente valeria e teria sido diferente".

Sem ter garantido a vaga na Copa do Mundo do Catar, que será realizada entre os dias 20 de novembro e 18 de dezembro deste ano, alguns jogadores desta safra da Colômbia não poderão realizar o sonho que Yepes teve: "Foi a oportunidade de realizar meu sonho de infância. Algumas pessoas não acreditavam que eu iria para a Copa do Mundo pela minha idade (38). Eu tentei me preparar o melhor possível. Eu sabia que tinha um grande compromisso, não apenas comigo, mas com meus companheiros, minha família e um país inteiro. Então o que eu fiz foi um pouco mais de trabalhos extras ao longo de todo o ano antes da Copa, fazendo um grande esforço para estar pronto para a competição".