YouTube suspende canal de Trump por violar regra de incitação à violência

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O YouTube anunciou na madrugada desta quarta-feira (13) a suspensão do canal de vídeos do presidente Donald Trump por violação das políticas de incitação à violência. A decisão ocorre após a invasão do Congresso dos Estados Unidos, na semana passada. De acordo com a plataforma, o canal de Trump, que tem 2,78 milhões de inscritos, recebeu o primeiro aviso e "está temporariamente impedido de enviar novos conteúdos por um mínimo de sete dias". Os vídeos que não violam as regras da empresa continuam disponíveis, mas, depois de três avisos, o perfil pode ser bloqueado definitivamente. "Dadas as preocupações contínuas com violência, também desativaremos indefinidamente os comentários no canal do presidente Trump, como fizemos com outros perfis", afirmou o YouTube, por meio de uma publicação no Twitter. O vídeo que levou à suspensão do canal do líder republicano mostra a entrevista coletiva em que Trump negou qualquer responsabilidade sobre a invasão do Congresso. A declaração foi dada depois de um discurso no qual ele incentivou uma multidão a "lutar para valer". Segundo o presidente, o que ele disse foi "totalmente apropriado". Com a decisão, o YouTube se junta a outros gigantes das redes sociais, como o Twitter, que a princípio suspendeu e depois baniu definitivamente os perfis de Trump.