Youtuber é preso após simular assalto com fuzil em SC

PM mobilizou até helicóptero para atender a ocorrência

Youtuber foi preso após provocar caos com
Youtuber foi preso após provocar caos com "falso assalto" - Foto: Redes sociais/Reprodução e PM/Divulgação

Um youtuber foi preso na noite da última quarta-feira (18) em Balneário Camboriú, Santa Catarina, enquanto gravava uma simulação de assalto com um fuzil de airsoft próximo a um clube de tiro da cidade.

De acordo com informações do portal g1, Jonatan Santos, de 28 anos, foi acusado de atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública.

Perseguição e caos

A Polícia Militar foi acionada por moradores da região, que acreditavam que o episódio se tratava, de fato, de um assalto com fuzil.

A corporação mobilizou viaturas, motocicletas e até um helicóptero, que foram ao local para realizar um cerco ao suposto assaltante, que teria fugido em uma camionete após a ação.

A PM realizou buscas e encontrou o veículo em uma residência da região após cerca de meia hora. Os agentes chegaram a trafegar em alta velocidade e cruzar sinais vermelhos para localizar o suspeito.

Episódio é desvendado

Após ter a casa cercada por policiais, Jonatan explicou que estava, apenas, "gravando um vídeo em via pública, de simulação de assalto, para seu canal no YouTube, e que as armas usadas seriam do tipo airsoft".

Os itens foram apreendidos e o youtuber foi detido pela polícia, que informou que o rapaz não tinha autorização dos órgãos públicos para gravar na via.

Jonatan também foi enquadrado no artigo 41 da Lei de Contravenções Penais, que fala sobre "praticar qualquer ato capaz de produzir pânico ou tumulto".

Manifestação do suspeito

O youtuber, que tem 3,5 milhões de inscritos em seu canal, foi levado à delegacia, onde permaneceu em silêncio durante todo o depoimento aos agentes.

Em nota divulgada nas redes sociais, Jonatan informou que "todas as medidas necessárias já estão sendo tomadas e, em breve, tudo será esclarecido".

O rapaz destacou, ainda, que faria nova manifestação oficial sobre o caso nesta quinta-feira (19).