Youtuber que fez cirurgia para reconstruir hímen decide rifar 'nova virgindade' após traição

Extra
·2 minuto de leitura
Foto: Reprodução/Instagram

youtuber nova virginidade

Foto: Reprodução/Instagram

Com um milhão de seguidores em um canal sobre sexo no Youtube, Ana Otoni gerou polêmica nas redes sociais ao revelar que decidiu rifar a própria "virgindade" após uma cirurgia de reconstrução de hímen. No Twitter, contou que pretendia ter a primeira relação sexual logo depois do procedimento cirúrgico com um namorado, mas mudou de ideia após ser traída.

"Fiz minha cirurgia, ia perder minha virgindade com meu namorado que me meteu logo um chifre pra eu deixar de ser besta", escreveu.

Um amigo gravou um vídeo em que ela aparece de costas e ele anuncia que a rifa seria liberadq em breve e que a a youtuber seria a "única virgem experiente no mundo". Após a repercussão das imagens, Ana recebeu críticas de que a iniciativa contribuía para a objetificação de mulheres, mas defendeu que teve a ideia e que o amigo apenas a apoiou.

"Eu quero fazer essa rifa, o corpo é meu! As regras são minhas! Vou fazer sexo com um homem desconhecido, porém, ele me conhece e me quer a ponto de comprar a rifa! Única diferença de sexo de balada é que eu vou estar sóbria e vou ganhar dinheiro!", defendeu.

Um grupo no Telegram com interessados pela rifa já tem mais de 15 mil participantes. Ana, que também vende conteúdo adulto no mesmo aplicativo de mensagens, diz que o vencedor vai ter direito a uma viagem paga por ela para Fernando de Noronha, em Pernambuco. De acordo com a youtuber, o motivo da iniciativa é "óbvio":

"Meus motivos são óbvios, quero ganhar dinheiro! E me divertir! Não é só um sexo, é uma viagem com tudo pago por mim, para Fernando de Noronha, com todos os meus amigos e amigas!", contou.

Em 2012, a catarinense Ingrid Migliorini, que usava o codinome Catarina, chamou a atenção do Brasil e do mundo ao decidir que iria leiloar sua virgindade. Ela voltou atrás após realizar a venda. A saga foi retratada num documentário chamado “Virgins Wanted”, gravado e produzido pelo australiano Justin Sisely.

Em entrevista ao site americano "Huffington Post" em 2014, Sisley afirmou que a relação sexual com Catarina não ocorreu pois o comprador não teria gostado da postura da jovem em um primeiro encontro para negociar a venda. Catarina rebateu a declaração, dizendo que só queria se certificar que a transação de 780 mil dólares australianos seria feita em dinheiro. "Só se eu fosse louca para aceitar um cheque. Eles não aceitavam outra alternativa que não fosse o cheque administrativo", justificou.