Youtubers são condenados por invadirem penitenciária vestidos como personagens da série 'La casa de papel'

Louise Queiroga

Três youtubers que invadiram uma unidade prisional em Abreu e Lima (PE), no dia 17 de abril de 2018, vestidos como os personagens assaltantes da série espanhola "La casa de papel", produzida e transmitida pela Netflix, foram condenados, segundo decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) publicada nesta segunda-feira.

O juiz Luiz Carlos Viera de Figueirêdo concluiu que os influenciadores digitais, Gerson Farias de Albuquerque, Mateus Kleber Santos de Oliveira e Wesllay Meireles Lopes Costa, atentaram contra a segurança do Centro de Observação e Triagem Professor Everaldo Luna (Cotel) e desacataram funcionários públicos que atenderam a ocorrência. Outro jovem participou da ação, mas não entrou na senteça pois era menor de idade à época dos fatos.

"Por sorte não aconteceu um mal maior, como rebelião ou fugas. Por mais sorte ainda os acusados não foram alvejados por tiros", registrou o juiz no documento, acrescentando que os homens foram debochados ao serem abordados pelos agentes, adotando uma postura desrespeitosa, em meio a risadas no momento da prisão.

Segundos os youtubers, "tudo não passou de uma grande brincadeira e em nenhum momento tiverem a intenção de praticar os crimes descritos".

"La casa de papel" conta a história de criminosos que invadem a Casa da Moeda da Espanha para roubarem 2 bilhões de euros. Durante a ação, os assaltantes usam um macação vermelho e escondem seus rostos com uma máscara do pintor Salvador Dalí.

Na decisão do TJPE, consta que "os acusados disseram que queriam apenas fazer um vídeo para registrar a alegada brincadeira (e com isso ganharem dinheiro pelas visualizações)".

"Ou seja, a intenção era fazer humor", afirmou o juiz.

Figueirêdo escreveu ainda que não era seu papel como magistrado avaliar se a ideia do vídeo era ou não engraçada.

"Não se trata de avaliar o limite do humor", disse. "Vai do gosto de que consome o humor. Por isso, não se pode dizer que a piada e boa ou ruim".

A pena foi definida em dois anos de reclusão e 10 dias de multa, e mais seis meses de detenção do regime aberto. No entanto, foi substituída por pagamento de fiança e prestação de serviços à comunidade.

A gravação do vídeo estava sendo feita no estacionamento da unidade prisional. Na noite anterior, o youtuber mostrava para seus seguidores do Instagram Stories que planejava fazer algo relacionado à série para uma publicação nova do seu canal.

"Então, vou sair agora para fazer a pegadinha. Belém, tamos (sic) juntos! Chega aí, Paraíba! Minas Gerais, vamos meter o terror", disse Gerson em um dos vídeos, em que chama os amigos fazendo referência à forma como os ladrões da ficção escolheram ser chamados: por nomes de lugares. "Amanhã de manhã vai sair esse vídeo, vocês têm que ver, mano! Até abordado a gente foi! abordado!", afirmou o jovem empolgado.