Zé Trovão reconhece perda da 'batalha' e diz que é hora de 'erguer a cabeça'

***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 07.10.2022 - O líder caminhoneiro e deputado federal eleito Zé Trovão (PL-SC). (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 07.10.2022 - O líder caminhoneiro e deputado federal eleito Zé Trovão (PL-SC). (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O líder caminhoneiro e deputado federal eleito Zé Trovão (PL-SC) reconheceu nesta segunda-feira (31) a derrota de Jair Bolsonaro (PL) nas eleições presidenciais. Disse que agora é hora de "erguer a cabeça" e que o grupo do mandatário perdeu uma batalha, mas não a guerra.

Zé Trovão foi investigado e chegou a ser preso por sua participação na organização de atos antidemocráticos, durante as festividades de 7 de Setembro do ano passado.

"Para nós foi uma derrota que nos entristece muito, nos assombra porque nós nunca imaginamos que o povo brasileiro iria escolher, eu vou usar até um termo bíblico, por Barrabás ao invés do Messias. Isso foi uma grande surpresa. Mas, como eu sempre digo, é hora de bater a poeira das botas, erguer a cabeça", afirmou à Folha de S.Paulo.

O bolsonarista afirmou que a direita elegeu uma grande bancada no Congresso Nacional, em particular no Senado, além de ter feito governadores de estados importantes.

"A esquerda só conseguiu eleger quatro governadores, então nós temos 23 governadores em alinhamento. Podemos fazer um grande mandato, trabalhar em favor da vida humana, dar ao brasileiro e principalmente, no meu caso, ao catarinense, o respeito e a dignidade que ele tanto precisa", afirmou.

"E é isso. Perdemos uma batalha, mas não perdemos a guerra. Continuamos firmes no nosso propósito. Manterei a minha oposição contra a esquerda sempre e principalmente contra o PT. Mas tenho que trabalhar, preciso fazer o melhor por Santa Catarina, sempre", afirmou.