Zagueiro Renan, ex-Palmeiras e Bragantino, acerta com clube árabe

Preso por ter assassinado uma pessoa ao beber e dirigir, Renan foi liberado pela Justiça para atuar fora do país.
Preso por ter assassinado uma pessoa ao beber e dirigir, Renan foi liberado pela Justiça para atuar fora do país. Foto: (Raul Sifuentes/Getty Images)

Após Red Bull Bragantino e Palmeiras rescindirem os contratos por justa causa com o zagueiro Renan, que responde em liberdade por homicídio culposo, com os agravantes de dirigir sob influência de álcool e não ser habilitado para dirigir, o defensor foi contratado pelo Shabab Al Ahli Club, dos Emirados Árabes Unidos e atuará pelo clube árabe.

Nesta semana, na última quarta-feira, a Justiça, em decisão tomada pela juíza Nicole de Almeida Campos Leite Colombini, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Bragança Paulista, Renan recebeu a autorização para retomar seu passaporte e atuar por clubes do exterior: "Considerando-se que não há indícios de que o averiguado busca se esquivar da Justiça, sendo que está com advogado constituído nos autos, efetuou o pagamento da fiança arbitrada, além de ter firmado acordo a titulo de danos morais e materiais em prol da família da vítima; considerando-se, ainda, o trabalho de jogador de futebol do averiguado, e, pois, ciente da dificuldade de arrumar emprego na referida função, com a restrição de se ausentar desta comarca; considerando-se, por fim, o parecer favorável do Ministério Público e ante o acordo firmado com a família da vítima, defiro o pedido de substituição das medidas cautelares impostas ao autuado nestes autos, de modo que determino a devolução do passaporte ao requerente, bem como autorizo a sua saída do país, visando a sua reinserção no mercado de trabalho".

Leia também:

Relembre o caso

Emprestado pelo Palmeiras ao Red Bull Bragantino, o jogador de 20 anos de idade colidiu seu carro com uma moto e o motociclista não resistiu aos ferimentos. O acidente ocorreu na estrada que liga Bragança Paulista a Itatiba durante uma madrugada. Segundo testemunhas, ele teria entrado na contramão e atingido a moto. De acordo com a polícia, o jogador que apresentava sinais de embriaguez, teria se recusado a fazer o teste do bafômetro após o acidente e foi encaminhado à delegacia.

Renan foi solto ao pagar fiança de 200 salários mínimos, valor próximo a R$ 242 mil, além de ter sido proibido pela Justiça de frequentar bares e casas noturnas.