Zambelli diz que engraxa a bota do marido e Doria acusa Bolsonaro de genocida em bate-boca em SP

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  29-04-2020 - A deputada Carla Zambelli. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 29-04-2020 - A deputada Carla Zambelli. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governador de SP, João Doria (PSDB), e a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), bateram boca durante evento do governo paulista nesta sexta-feira (28).

Ao discursar, a parlamentar alfinetou o tucano ao criticar o fechamento do comércio no estado por causa da epidemia de Covid-19.

"Bolsonaro não fechou comércios. Bolsonaro não decretou lockdown. Bolsonaro não fez toque de recolher e também não destruiu empregos", afirmou a parlamentar, ao que Doria imediatamente interrompeu, dizendo repetidas vezes: "Destruiu vidas!". "Genocida!", concluiu o tucano, que era aplaudido enquanto se manifestava.

Zambelli segue dizendo que a fala do tucano "é natural vindo de um governador que já mandou eu engraxar botas de militares", no que foi vaiada. "Digo para os senhores, eu prefiro ter que engraxar bota de militares --como o meu marido, por exemplo, é militar, e engraxo com muito orgulho a bota dele pra ele poder ir trabalhar".

​O governador encerrou a sua fala dizendo que "São Paulo é a terra da vacina, não da cloroquina".

Doria e Zambelli estavam presentes no evento de entrega dos conjuntos habitacionais Manuel Bueno 2 e Osório, no Itaim Paulista, zona leste de São Paulo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos