Zambelli diz que não fugiu e que foi aos EUA para 'restaurar a liberdade de expressão'

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 20.09.2021 - A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 20.09.2021 - A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP). (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) afirma que foi aos Estados Unidos para estudar meios de "assegurar e restaurar a liberdade de expressão no Brasil". A viagem, sem aviso prévio, foi relatada nas redes sociais como uma fuga da parlamentar, que está sendo investigada por entrar armada em um bar em São Paulo e perseguir um homem negro junto com seus seguranças.

Em nota, ela diz que não comunicou sua ida aos Estados Unidos por causa de decisão judicial que derrubou todos os seus perfis em redes sociais nesta semana.

"É através das minhas redes sociais que reporto eventos, faço questionamentos, trago conhecimento informativo e divulgo minha agenda", afirma a parlamentar. "Não divulguei a viagem aos Estados Unidos simplesmente porque não tenho onde publicar, oras!", acrescenta.

Um dos que anunciaram a viagem da bolsonarista foi o deputado federal André Janones (Avante-MG). "Zambelli acaba de deixar o país", escreveu ele. Após a repercussão e uma série de comentários sugerindo fuga, o parlamentar voltou às redes para afirmar que a colega de Câmara não estava proibida de deixar o país e, portanto, não seria possível falar em fuga.

Zambelli diz ser alvo de censura da Justiça e se autodeclara "uma das maiores vozes conservadoras". "Estou cumprindo agendas pessoais e aproveitarei a ocasião para estudar meios de assegurar e restaurar a liberdade de expressão no Brasil junto a autoridades americanas", afirma em nota , sem dar maiores detalhes.

Aliada do presidente Jair Bolsonaro (PL) e uma das figuras políticas do bolsonarismo com maior engajamento nas redes, a deputada vinha fazendo postagens favoráveis às manifestações golpistas em favor do mandatário.

Desde a noite de domingo (30), a militância mais radicalizada faz centenas de bloqueios em estradas pelo país questionando o resultado da eleição, que teve Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como vencedor.

"Parabéns, caminhoneiros. Permaneçam, não esmoreçam", escreveu ela na segunda-feira (31).

Leia, abaixo, a íntegra da nota enviada pela deputada Carla Zambelli:

"É através das minhas redes sociais que reporto eventos, faço questionamentos, trago conhecimento informativo e divulgo minha agenda.

O resultado desse trabalho de confiança e respeito me garantiu o título de parlamentar de maior influência no Brasil nos últimos 2 anos segundo o FSB e 2 vezes a melhor deputada do Brasil, segundo o Congresso em Foco.

A decisão que censurou todos os meus canais de comunicação, inclusive o Watsapp tem como objetivo controlar o fluxo de informações e conter uma das maiores vozes conservadoras da internet com mais de 9.520.000 seguidores em sete redes sociais.

Depois de ter seus perfis nas redes sociais suspensos por decisão judicial, a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) divulgou links para suas novas contas na madrugada desta quarta-feira (2) em uma tentativa de driblar as determinações.

No mesmo dia, porém, os novos perfis foram derrubados após nova decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O teor das decisões, no entanto, está sob sigilo.

Não divulguei a viagem aos Estados Unidos simplesmente porque não tenho onde publicar, oras!

Estou no meio desse movimento de contenção, repressão e ataque à Liberdade.

Estou cumprindo agendas pessoais e aproveitarei a ocasião para estudar meios de assegurar e restaurar a liberdade de expressão no Brasil junto a autoridades americanas.

Ass. CARLA ZAMBELLI"