Zeca Pagodinho, que fará live domingo, conta por que não vai beber cerveja durante o show

Silvio Essinger
O sambista Zeca Pagodinho, ao lançar o álbum "Mais feliz", em setembro de 2019

Fazer live? Zeca Pagodinho evitou até onde pôde. Mas depois de quase dois meses em quarentena em seu apartamento na Barra da Tijuca, com a mulher Mônica, as filhas Eliza e Maria Eduarda e o neto Noah, o sambista mais popular do Brasil acabou capitulando: este domingo, Dia das Mães, às 13h, ele faz a sua estreia em espetáculos íntimos pela internet, com um show transmitido em seu canal do YouTube.

— Eu demorei muito para aceitar, era muito pedido. Até a minha filha caçula [Maria Eduarda] perguntou: "Pai, você não vai fazer live, não?" — conta Zeca, em ligação de Skype pilotada por Eliza. — Tu imagina Zeca Pagodinho 60 dias dentro de casa? Tô igual a um siri na lata! Mas tem que ficar.

Em isolamento social desde do dia 13 de março, quando teve duas apresentações canceladas no Vivo Rio, o sambista chegou a fazer alguns vídeos em casa, publicados em redes sociais. Agora, Zeca promete uma apresentação de 1h15 de duração, na qual contará com cinco músicos e cantará grandes sucessos como "Verdade", "Deixa a vida me levar", "Coração em desalinho", "Isolado do mundo", "Patota de Cosme", " Brincadeira tem hora", e músicas do mais novo álbum, "Mais feliz" (2019), entre elas "Sexta- Feira", " Permanência" e "O sol nascerá".

Ele conta que não tem visto muitas lives, porque dorme cedo.

— O que eu mais tenho feito é falar com os amigos por telefone. Eu estava dizendo aqui que tem gente com saudade até da sogra!

Leia a entrevista completa aqui.