Zefa contará segredo a Tadeu em 'Pantanal', e Paula Barbosa defende 'fofocas' da personagem: 'Ela tenta tudo o que pode'

Na cozinha da casa de Tenório (Murilo Benício) e Maria Bruaca (Isabel Teixeira), em “Pantanal”, Zefa quase que mexe mais sua língua do que as panelas no fogão. É que a moça anda muito bem informada sobre as intrigas que circundam aquela fazenda e não pensa duas vezes antes de se meter nas conversas. Mas ai de alguém que ouse chamar a moça de fofoqueira! Paula Barbosa, sua intérprete, logo sai em defesa da personagem.

— Num primeiro momento, Zefa imprime uma coisa de ser futriqueira e de querer se meter. Mas ao longo da história, você percebe que não é isso. Ela está ali e vê o que acontece, não fica indo atrás. E não é boba, é esperta. Quando fala, não é por querer fazer fofoca ou chantagear. Mas por não achar certo. Tem a ver com o fato de ser carola. Ela sabe de algo e fala diretamente com a pessoa envolvida. Não vai para outro núcleo contar. No fim, ela se preocupa porque acha que pode acontecer uma tragédia — argumenta Paula

Há pouco tempo, outro adjetivo nada positivo foi atribuído à personagem, quando Guta (Julia Dalavia) a chamou de sonsa. A atriz também rebate:

— As pessoas não estão acostumadas com a sinceridade a troco de nada. Zefa viu que Guta ficou brava com uma atitude dela e se desculpou. Isso pode ser interpretado como a pessoa estar se fingindo de boba ou como algo realmente legal.

Quando Paula anda nas ruas, no entanto, não tem jeito. O que ela mais ouve sobre Zefa é “sua linguaruda”, “língua de chicote”.

— O chicote é como aquela mangueira de água que, quando você liga, espirra para tudo que é lado — explica a atriz, que se diverte com as brincadeiras do público.

Romance com Tadeu

Nesta sexta-feira, aliás, o chicote vai atacar de novo. Zefa vai dizer a Tadeu (José Loreto) que Guta não o ama de verdade e que Tenório está mesmo é interessado nos bois da fazenda vizinha.

— É o momento em que ela tenta tudo que pode, quando vê que o negócio pode desandar. Zefa percebe que Tadeu arruma briga com sua família por causa de Guta. Ela tenta abrir os olhos dele. Este é o ápice da intromissão da Zefa. Mas também tem o momento em que ela conta a Guta que gosta de Tadeu, mas que também gosta dela — adianta Paula.

No decorrer da história, a tal língua que por enquanto só é usada para falar vai encontrar outra boca para beijar: e é justamente a de Tadeu, com quem ela viverá um romance.

Será que esse repasse de informações para o rapaz já se dava porque a moça queria montar na garupa do peão?

— Como atriz, há uma ideia de deixar isso no ar para pensarem: qual é a dela? Mas não acho que isso seja intencional para separar Guta e Tadeu. Zefa é muito verdadeira neste sentido. Ela se encanta, mas acha que ele é o peão master, nem acredita que teria uma oportunidade — analisa.

Vida real

Com 35 anos e mãe do pequeno Daniel, de 5, fruto de seu casamento com o produtor musical Diego Dalia, Paula lembra que já foi um pouco mais parecida com Zefa quando o assunto era tentar intervir em alguma questão.

— Na adolescência, minha família dizia que eu era a defensora dos fracos e oprimidos. Na escola, eu via uma briga e me metia. Falava com a professora. Mas isso só me trouxe coisas ruins. Ficava com essa fama de intrometida, fazia isso achando que era o certo. Com o amadurecimento, vi que não é assim. Hoje, só me coloco quando pedem minha opinião — garante a atriz, que frisa: — Não sou fofoqueira nem futriqueira. Isso me desagrada, principalmente quando falam de alguém que não está presente na conversa.

Em família

Paula ainda tem outra ligação afetiva com a novela, ela é neta do autor Benedito Ruy Barbosa e prima de Bruno Luperi, que assina a adaptação atual. A atriz recorda momentos em família, antes de Zefa chegar até ela:

— Quando soubemos que ia ter a novela, meu avô e meu primo logo disseram que queriam que eu fizesse algum personagem. Mas tem toda a questão de perfil, dependeria da direção para saber se teria algo para mim. Fiquei na expectativa, até que me chamaram para fazer a Zefa e eu amei.

Na versão de 1990, Zefa seria apenas uma participação feita pela atriz Giovanna Gold, mas cresceu na trama e terminou casada com Tadeu.

Paula, que era muito criança na época, reviu a versão original antes de saber se faria algum personagem e adorava aquela figura.

— Me chamava a atenção esse humor leve dela. Meu avô diz que eu tenho esse humor não escrachado. Ele chegou a cogitar a Guta para mim. Só que todo o conceito mudou, a Guta de hoje parece mais nova que a da outra versão. Zefa também é mais jovem que eu, mas dá para explorar pela carolice dela. Fiquei feliz por acreditarem que eu poderia fazer.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos