Zelenski pede reunião com Xi e cobra ação da China contra Rússia na Guerra da Ucrânia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Ucrânia tem, em vão, tentado organizar uma conversa com o líder da China, Xi Jinping, disse o presidente Volodimir Zelenski ao jornal honconguês South China Morning Post em entrevista publicada nesta quinta (4).

Zelenski afirmou que a reunião tem sido solicitada desde o início da invasão russa, mas as tentativas foram frustradas. O objetivo de Kiev seria mobilizar um dos principais parceiros de Moscou na arena internacional.

"É um estado muito poderoso, com uma economia muito poderosa", disse o líder ucraniano. "A China pode influenciar política e economicamente a Rússia."

Na entrevista, Zelenski afirmou que, sem o mercado chinês, a Rússia estaria sentindo o "isolamento econômico completo", fruto das sanções impostas por nações do Ocidente —Pequim não apoia sanções e também não condenou Moscou pela invasão.

Agora, com a tensão em Taiwan, ilha que a China considera uma província rebelde, Moscou tem apoiado Pequim, afirmando inclusive que o país tem o direito de conduzir exercícios militares na região.

Zelenski também instou a China a usar seu status de membro permanente no Conselho de Segurança da ONU —portanto, com poder de veto— para cobrar que os países cumpram normas do direito internacional. "Se qualquer país pode simplesmente decidir violar as regras militarmente, por que deveríamos ter um Conselho de Segurança?", questionou.

A China foi o principal parceiro comercial da Ucrânia no ano passado, com volume de trocas de quase US$ 19 bilhões, segundo a diplomacia ucraniana. O país também é um dos principais parceiros russos —relação que tem se intensificado na guerra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos