Zelenskiy alega tortura e provas de crimes de guerra no nordeste da Ucrânia

Zelenskiy durante entrevista à Reuters em Kiev

KIEV (Reuters) - O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, disse nesta sexta-feira que muitos ucranianos foram enterrados em vários locais no nordeste recém-recuperado, incluindo famílias inteiras e pessoas que foram torturadas, comparando as consequências à retirada da Rússia de Kiev meses atrás.

Em uma entrevista em seu gabinete presidencial, ele disse à Reuters que uma investigação está em andamento com apoio internacional e que há evidências de crimes de guerra russos nessas áreas.

"Até agora são 450 mortos, enterrados. Mas há outros sepultamentos separados de muitas pessoas. Pessoas torturadas. Famílias inteiras em certos territórios", disse.

Questionado se havia provas de crimes de guerra, ele afirmou: "Tudo isso está lá. Comissões de investigação com parceiros internacionais, comissões de investigação conjuntas".

"Nossos promotores também estão trabalhando com os promotores internacionais. Há algumas evidências, e avaliações estão sendo conduzidas, ucranianas e internacionais, e isso é muito importante para nós, para que o mundo reconheça isso", completou ele.

A Rússia nega ter como alvo civis e disse no passado que as acusações de abusos dos direitos humanos são uma campanha de difamação.

O governador da região de Kharkiv, Oleh Synhubov, disse a repórteres nesta sexta-feira em um dos locais de sepultamento na cidade de Izium que alguns corpos exumados foram encontrados com as mãos amarradas nas costas.

Moscou não comentou sobre o local de sepultamento em massa em Izium, que era um reduto da linha de frente russa antes da contraofensiva da Ucrânia forçar suas forças a fugir.

(Reportagem de Tom Balmforth)