Zelenskiy diz aos russos para fugirem de ofensiva ucraniana no sul

Complexo residencial em Mykolaiv

Por Andrea Shalal e Max Hunder

MYKOLAIV, Ucrânia/KIEV (Reuters) - O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, pediu às tropas russas que fujam para salvar suas vidas depois que as forças da Ucrânia lançaram uma ofensiva para retomar o sul do país, mas Moscou disse que interrompeu o ataque e infligiu pesadas perdas a Kiev.

A Ucrânia afirmou na segunda-feira que suas forças terrestres realizaram ofensiva no sul pela primeira vez após um período de ataques às linhas de suprimentos russas, em particular pontes sobre o rio Dnipro, estrategicamente importantes, e depósitos de munição.

Em um discurso noturno na segunda-feira, Zelenskiy pediu às forças russas que voltem para casa ou serão perseguidas.

"Se querem sobreviver - é hora de os militares russos fugirem. Vão para casa", disse ele.

"A Ucrânia está recuperando sua própria (terra)", disse Zelenskiy, acrescentando que não divulgaria os planos de batalha precisos de Kiev, mas que as Forças Armadas estavam fazendo seu trabalho.

A nova ofensiva ocorre após várias semanas de relativo impasse em uma guerra que matou milhares, deslocou milhões, destruiu cidades e alimentou uma crise global de energia e alimentos em meio a sanções econômicas ocidentais sem precedentes à Rússia.

A Rússia capturou faixas do sul da Ucrânia perto da costa do Mar Negro em sua fase inicial, inclusive na região de Kherson, que fica ao norte da península da Crimeia, anexada à Rússia.

A Ucrânia, agora com armas sofisticadas fornecidas pelo Ocidente, vê a retomada da região como crucial para evitar tentativas russas de conquistar mais territórios mais a oeste que poderiam eventualmente cortar seu acesso ao Mar Negro.

Oleksiy Arestovych, conselheiro presidencial ucraniano de alto escalão, disse que as defesas russas na região de Kherson foram "rompidas em poucas horas". Não ficou claro a qual linha de defesa russa ele estava se referindo.

O Reino Unido, um aliado próximo da Ucrânia, afirmou nesta terça-feira que Kiev intensificou sua barragem de artilharia em toda a frente sul, mas disse que ainda não é possível confirmar a extensão dos avanços territoriais ucranianos.

Vitaly Kim, governador da região de Mykolaiv, disse à TV ucraniana: "Um intenso combate está acontecendo. Nossos militares estão trabalhando sem parar. A libertação da região de Kherson está chegando em breve".

A agência de notícias russa RIA informou que a cidade de Nova Kakhovka, controlada pela Rússia, ficou sem água e energia após um ataque com mísseis ucranianos.

No entanto, o Ministério da Defesa da Rússia disse que a ofensiva ucraniana foi interrompida. Afirmou em um comunicado que as forças ucranianas tentaram partir para a ofensiva em três direções diferentes nas regiões sul de Mykolaiv e Kherson, mas perderam cerca de 560 militares, 26 tanques e dois aviões de guerra.

"Outra tentativa do inimigo de partir para a ofensiva fracassou", disse.

A Reuters não pôde verificar os relatos do campo de batalha.

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS TR