Zelenskiy diz na COP27 que combater mudanças climáticas é impossível sem a paz

Imagem de arquivo: O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy. 31 de outubro, 2022. REUTERS/Viacheslav Ratynskyi

Por Gloria Dickie e William James

SHARM EL-SHEIKH, EGITO (Reuters) - A invasão da Ucrânia pela Rússia distraiu os governos mundiais dos esforços para combater as mudanças climáticas, disse o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, em uma mensagem de vídeo exibida na conferência climática COP27, no Egito, nesta terça-feira.

"Não pode haver uma política climática eficaz sem a paz", disse ele, destacando o impacto da invasão da Ucrânia pela Rússia sobre o abastecimento global de energia, os preços dos alimentos e sobre as florestas da Ucrânia.

"Esta guerra russa provocou uma crise de energia que forçou dezenas de países a retomar a geração de energia a carvão para reduzir os preços da energia para seu povo...", disse.

"Isso trouxe uma crise alimentar aguda para o mundo, que atingiu mais aqueles que sofrem as manifestações existentes da mudança climática... a guerra russa destruiu 2 milhões de hectares de florestas na Ucrânia em menos de seis meses", disse Zelenskiy.

A Ucrânia ocupa um espaço de exposição este ano pela primeira vez em uma conferência climática da ONU, em Sharm el-Sheikh, Egito. Mas, ao contrário dos outros estandes da COP27 que estão enfeitados com logotipos coloridos, bandeiras e vegetação, o da Ucrânia se destacou por sua desolação - coberto de cinza grave para simbolizar a guerra em casa.

Em sua aparição no vídeo, Zelenskiy usava uma camiseta verde, sua marca registrada, e apareceu diante da câmera de vídeo atrás de uma mesa. Ele criticou os líderes mundiais por falarem da boca para fora sobre as mudanças climáticas sem entregar uma mudança real. Ele não nomeou Estados individuais.

"Ainda há muitos para quem a mudança climática é apenas retórica ou marketing... mas não uma ação real", disse ele.

“São eles que dificultam a implementação das metas climáticas, são eles que em seus escritórios zombam daqueles que lutam para salvar a vida no planeta, embora em público pareçam apoiar o trabalho em prol da natureza”.

“São eles que iniciam guerras de agressão quando o planeta não pode pagar um único tiro porque precisa de uma ação conjunta global”, afirmou o presidente ucraniano.