Zelensky agradece aos EUA por 'poderosa' ajuda militar de US$ 2,5 bi

O presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, agradeceu aos Estados Unidos, nesta sexta-feira (20), por um novo pacote de ajuda militar de US$ 2,5 bilhões para a Ucrânia, a qual inclui centenas de veículos blindados.

"Obrigado ao presidente dos Estados Unidos (Joe Biden) por fornecer à Ucrânia outro poderoso pacote de apoio à defesa", disse Zelensky no Twitter.

As armas deste pacote “são uma ajuda importante na nossa luta contra o agressor”, frisou o presidente ucraniano.

O pacote não contempla os tanques solicitados por Kiev, mas inclui 59 veículos de combate de infantaria Bradley, uma grande quantidade de blindados para transporte de pessoal, sistemas de defesa aérea Avenger, assim como munições grandes e pequenas, de acordo com um comunicado divulgado pelo Pentágono.

Com este último pacote, o total da ajuda militar americana à Ucrânia desde o início da invasão russa, em fevereiro de 2022, chega a mais de US$ 26,7 bilhões.

O novo pacote de ajuda foi anunciado na quinta-feira (19), um dia antes de representantes de 50 países se reunirem na Alemanha, nesta sexta, para discutir o apoio à Ucrânia para a próxima fase da guerra.

- Finlândia enviará ajuda, mas não tanques -

Também nesta sexta, a Finlândia anunciou um pacote de ajuda militar de 400 milhões de euros (US$ 432 milhões) para a Ucrânia, que incluirá artilharia pesada e munição, mas nenhum tanque Leopard.

"A Ucrânia continua precisando de apoio para defender seu território", disse o ministro finlandês da Defesa, Mikko Savola, em um comunicado.

O ministério não divulgou detalhes dessa ajuda, mas, segundo disse o assessor especial Miikka Pynnone à AFP, o pacote não inclui os veículos blindados Leopard.

Helsinque já havia doado 11 pacotes de ajuda militar à Ucrânia, mas o desta sexta-feira é o de maior volume.

Ainda de acordo com o ministério, a Finlândia assinará um tratado de intenções com a Suécia sobre o apoio à Ucrânia, para garantir que essa ajuda "não ponha a defesa nacional de ambos os países em risco".

Na quinta-feira (19), a Suécia anunciou que enviará para a Ucrânia canhões de longo alcance Archer, um moderno obus móvel solicitado há meses por Kiev, além de blindados leves.

Países aliados da Ucrânia pressionam a Alemanha a autorizar o fornecimento de seus tanques Leopard, usados em vários exércitos, entre eles o da Finlândia.

Nesta sexta, o novo ministro da Defesa da Alemanha, Boris Pistorius, declarou que, por enquanto, nada foi decidido a esse respeito.

A questão foi "abordada" pelos países que apoiam a Ucrânia e que estão reunidos na base aérea de Ramstein, mas "nenhuma decisão foi tomada", frisou Pistorius.

"Não podemos dizer, hoje, quando (será tomada uma decisão), nem qual será a decisão sobre os tanques Leopard", acrescentou, ressaltando, contudo, que "a impressão" de que a Alemanha se opõe à entrega de tanques à Ucrânia é "falsa".

"Não estamos hesitando, apenas estamos pesando os prós e os contras (...) Temos a responsabilidade de pensar, detidamente, nas consequências para todas as partes no conflito", alegou Pistorius.

"Muitos aliados compartilham a opinião" de Berlim, garantiu o ministro, afirmando que "há boas razões para estar a favor e boas razões para estar contra estas entregas".

bur/jmm/mis/mar/tt