Zelensky diz que destino de Donbass será definido em Severodonetsk, hoje foco da guerra

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou que o destino de Donbass, que compreende as regiões de Donetsk e Luhansk, no Leste, está sendo definido na batalha pelo controle de Severodonetsk, cidade que, há semanas, é foco dos combates entre russos e ucranianos.

— Severodonetsk continua sendo o epicentro do confronto em Donbass. Defendemos nossas posições, infligimos perdas significativas ao inimigo. Esta é uma batalha muito feroz, muito difícil. Provavelmente uma das mais difíceis desta guerra — afirmou, em mensagem de vídeo. — Sou grato a todos e todas que lá se defendem. De muitas maneiras, o destino de Donbass está sendo decidido lá.

Riscos: Ucrânia descarta desminagem do porto de Odessa para exportar grãos por medo de ataque russo

Sem treinamento: Soldados ucranianos usam internet para aprender a guerrear com armas enviadas pelo Ocidente

Acusações: Rússia diz que há 8 mil prisioneiros de guerra nas regiões separatistas de Luhansk e Donetsk

Desde a mudança da estratégia russa, no final de março, os combates têm se concentrado na região Leste da Ucrânia, onde forças separatistas pró-Moscou já ocupavam parte do território desde 2014, quando eclodiu a guerra civil ucraniana. Para analistas, foi uma correção de curso por parte do Kremlin, que acumulou fracassos em seus planos iniciais de tomar grandes cidades, como Kharkiv e a própria capital, Kiev.

Entrevista: Foco na guerra da Ucrânia ainda é militar, e não humanitário, diz representante de grupo antiminas

Contudo, a expectativa de vitórias fáceis também não se concretizou. Em Mariupol, cidade portuária na costa do Mar de Azov, foram necessárias semanas até que as forças russas quebrassem a resistência — em um dos episódios mais marcantes, combatentes ucranianos e civis se abrigaram por um longo período na central siderúrgica Azovstal, uma das maiores da Europa, até que um acordo de rendição fosse acertado.

Crise: Ataques russos causam estragos em Odessa, e UE alerta para impacto global de bloqueio dos portos ucranianos

Avanços em outras áreas do Leste também foram custosos e lentos, como na batalha de Severodonetsk. A cidade industrial hoje praticamente destruída não tem grande importância estratégica, mas sua tomada pelos russos, além da vizinha Lysychansk, marcaria a conquista da região de Luhansk por Moscou, uma das suas maiores vitórias no front.

Em entrevista à rede RBC Ucrânia, o governador pró-Kiev de Luhansk, Serhiy Gaidai, afirmou que os russos passaram à tática de devastação total ao se depararem com a resistência ucraniana, e com a perda de alguns pontos da cidade.

— Os russos estão destruindo tudo — disse Gaidai. — Estão fazendo disparos com tanques e artilharia contra prédios residenciais.

Por isso, afirma o governador, as tropas ucranianas precisaram fazer recuos estratégicos. Anteriormente, declarou que 90% das estruturas da cidade estavam destruídas, incluindo quase 70% das habitações.

— Nossas forças agora controlam apenas os arredores da cidade — declarou. — Mas o combate continua, estamos defendendo Severodonetsk. Não é possível dizer que os russos controlam totalmente a cidade.

Lembranças da Euro 2012

Além dos combates, Zelensky lembrou de quando o país sediou a Euro 2012, em parceria com a Polônia, hoje uma de suas principais aliadas no conflito. Donetsk, desde 2014 sob controle dos separatistas, sediou uma das semifinais, entre Espanha e Portugal, na hoje desativada Arena Donbass, diante de 48 mil espectadores. O estádio também era casa do Shakhtar Donetsk, uma das equipes mais vitoriosas da Ucrânia, que passou a atuar em outras cidades.

— Apenas 10 anos se passaram, e parece que é um outro mundo — afirmou Zelensky. — Nossa Donetsk era uma cidade forte, orgulhosa e desenvolvida. E então veio a Rússia. Trouxe ideias inadequadas. Agora é uma cidade fantasma, que perdeu a maioria das pessoas, milhares de vidas e absolutamente todas as perspectivas.

800 pessoas: Centenas de civis se escondem em fábrica de químicos em Severodonetsk, foco de ofensiva russa

O presidente criticou notícias publicadas pela imprensa russa sobre planos para um campeonato com equipes de áreas ocupadas pela Rússia, como Kherson, Donetsk, Luhansk, Kherson e Crimeia, anexada em 2014, e de regiões separatistas da Geórgia. Para ele, são informações “absolutamente loucas”, que servem para intimidar os moradores dessas áreas.

— Apenas o retorno da Ucrânia, para nossa bandeira e nossa lei, significará novamente para esses territórios o retorno a uma vida normal — afirmou. — Uma vida tranquila, segura, aberta ao mundo e, claro, a novas partidas de equipes internacionais na Arena Donbass.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos