Zelensky pede em Davos 'celeridade' nas decisões para ajudar a Ucrânia

O presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky pediu, nesta quarta-feira (18), no Fórum Econômico Mundial, em Davos, "celeridade" na tomada de decisões sobre a ajuda para seu país, coincidindo com a reticência da Alemanha em autorizar a entrega de veículos de combate Leopard.

"A tirania avança mais rápido que as democracias", disse ele em um discurso gravado em vídeo para o fórum, realizado esta semana nesta estação de esqui suíça.

"A mobilização do mundo necessita de mais celeridade que a próxima mobilização militar do nosso inimigo comum", afirmou.

"A Rússia precisou de menos de um segundo para iniciar a guerra. O mundo precisou de dias para reagir com as primeiras sanções", lamentou, lembrando que algumas vezes o mundo se mostrou "indeciso" na hora de reagir diante de ações "pouco hesitantes" de Moscou, como a ocupação da Crimeia.

A pressão está aumentando sobre o chanceler alemão, Olaf Scholz, para autorizar rapidamente a entrega de blindados Leopard à Ucrânia.

Qualquer envio de material bélico fabricado na Alemanha deve ter sinal verde do governo e líderes de Finlândia, Lituânia, Polônia e Reino Unido pediram na terça-feira uma decisão rápida.

Olaf Scholz, que falou pouco antes do presidente ucraniano em Davos, não fez nenhum anúncio em seu discurso, dois dias antes de uma reunião crucial de países ocidentais sobre ajuda à Ucrânia, realizada na sexta-feira na base militar americana em Ramstein, na Alemanha.

"Não apoiamos a Ucrânia apenas com dinheiro e ajuda humanitária, mas também com muitas armas", disse ele em uma das sessões do fórum, sem nunca mencionar a palavra "blindados".

soe/pc/mb/jc/mvv