Zelenskyy assinala Dia da Liberdade e Dignidade

Apesar do frio e da guerra, o presidente ucraniano e a Primeira Dama fizeram questão de assinalar o Dia da Liberdade e da Dignidade, que lembra os que perderam a vida nos protestos antigovernamentais de 2013 e 2014 que levaram à queda do regime pró-russo de Viktor Ianukovich.

Uma ocasião para prestar também homenagem aos ucranianos que se batem atualmente contra o invasor russo, nas palavras do presidente da Câmara de Kiev, Vitali Klitschko:

"Um pensamento forte para todos os que já não estão connosco. E apoio total aos heróis que hoje defendem a liberdade do nosso país."

Em Kherson, terminaram as celebrações da libertação da cidade e a população está agora totalmente dependente da ajuda externa.

Numa longa fila para obter ajuda humanitária, uma mãe, explica, junto com os filhos que conseguiu obter "maças e bolachas" e uma das crianças acrescenta que também conseguiram alguma "carne".

Temendo que os danos às infraestruturas e escassez de bens de primeira necessidade sejam demasiado severos para enfrentar o inverno, as autoridades decidiram evacuar algumas áreas recentemente libertadas no sul de Kherson e em Mykolaiv.

Nos arredores de Kharkiv, várias aldeias, apesar de libertadas, estão desertas devido à escala da destruição.

O Exército russo indicou esta segunda-feira que a sua aviação e artilharia visou vários postos de comando ucranianos na região.