Zelenskyy demite chefe da segurança e Procurador-geral da Ucrânia

A Rússia intensifica os ataques no Donbass

Um ataque russo ao distrito de Bakhmut na região de Donetsk feriu seis pessoas, incluindo três crianças, de acordo com relatórios militares ucranianos.

A cidade vizinha de Toretsk também esteve sob bombardeamentos. Os residentes falaram de explosões e "uma tempestade de fumo negro e fogo vermelho".

Kiev acusa Moscovo de lançar novos ataques em múltiplas zonas residenciais no leste e sul da Ucrânia.

Numa decisão surpreendente, o presidente, Volodymyr Zelensky, despediu o seu principal espião, o Chefe dos Serviços de Segurança, Ivan Bakanov e o Procurador-Geral do país, falando de investigações criminais de traição.

"Mais de 60 funcionários do Ministério Público e da SBU permaneceram no território ocupado, trabalhando contra o nosso Estado. Uma tal série de crimes contra a nossa segurança nacional, e as ligações registadas entre as forças de segurança ucranianas e os serviços especiais russos, levantam questões muito sérias sobre os seus respetivos líderes", disse Zelenskyy.

Nas cidades que se encontram no caminho das forças russas e cada vez mais próximas da linha da frente, prepara-se a evacuação. As autoridades locais não vêm outra solução.

O presidente da câmara de Pokrovsk, Ruslan Trebushkin, afirma: "Mesmo que a luta pare onde está agora e a linha da frente não se mova, será muito difícil sobreviver aqui no inverno".

Sem água, sem gás, sem eletricidade será impossível sobreviver aqui onde os filhos da terra pagam já com a vida os combates com as forças ocupantes. Trebushkin participa no funeral de um soldado de 40 anos, morto em Marinka, próximo de Donetsk.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos