Zelenskyy quer Ucrânia preparada

A reconstrução da Ucrânia, após a guerra, será o maior projeto económico da Europa e para tal, Volodymyr Zelenskyy quer que o país esteja preparado.

O presidente ucraniano esteve no Parlamento e pediu aos deputados que elaborassem legislação para estimular empresas a entrar no mercado ucraniano.

O chefe de Estado sublinhou que o objetivo da Ucrânia é restaurar a integridade territorial do país e libertar todos os seus cidadãos.

Entretanto, no leste, na região do Donbass ucraniano, prosseguem intensos combates entre as tropas invasoras russas e o exército ucraniano. Na rede social Facebook, Zelenskyy, lamentou o destino da cidade martirizada de Bakhmut onde, segundo escreve, "não há um único lugar que não esteja coberto de sangue." No entanto, garante que "ainda assim, Bakhmut está de pé. As forças ucranianas de defesa estão de pé. O Donbass ucraniano está de pé".

Наша #ФортецяБахмут. Ще минулого року там жили 70 тисяч людей, а зараз лишилися одиниці цивільних. Там немає місця, яке...

Posted by Володимир Зеленський on Wednesday, December 28, 2022

Em Kiev, o ministro francês da Defesa, Sébastien Lecornu, expressou, esta quarta-feira, "o apoio contínuo" de França à Ucrânia.

Alheio às condenações do Ocidente, o Kremlin divulgou imagens do que disse ser o "trabalho de combate das tripulações de helicópteros Mi-35 e Mi-28 do Distrito Militar Ocidental durante uma operação militar especial".

Já o porta-voz, Dmitry Peskov, diz que o Governo está recetivo a negociar a paz, mas sob condições: "Ainda não há nenhum plano de paz da Ucrânia. E não pode haver nenhum plano de paz ucraniano que não tenha em conta as realidades atuais em relação ao território russo, à incorporação das quatro novas regiões à Rússia. Qualquer plano que não reconheça estas realidades não pode ser considerado um plano de paz".

Entretanto, de acordo com Moscovo, prosseguem os trabalhos de reconstrução de uma estrada que liga a capital russa à Península da Crimeia, tornando-se assim numa alternativa à ponte parcialmente destruída pelas forças de Kiev em outubro.