Zema anuncia auxílio emergencial, mas diz que muitos "vão para o bar e deixam quase a tudo que receberam"

·1 minuto de leitura
Minas Gerais state Governor Romeu Zema speaks in front of a wall with the names of the victims of the January 25, 2019 dam collapse, during a tribute in Corrego do Feijao, district of the Brumadinho, state of Minas Gerais, Brazil, on January 25, 2020, to mark one year since the disaster which killed 270 people. - Brazil marks the first anniversary of the Brumadinho dam collapse, one of the country's worst industrial accidents. Millions of tons of toxic mining waste engulfed houses, farms and waterways, devastating the mineral-rich region in the southeastern state of Minas Gerais. It was the second such disaster involving Brazilian mining giant Vale, one of the biggest mining companies in the world, in three years. (Photo by DOUGLAS MAGNO / AFP) (Photo by DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)
Auxílio no valor de R$ 600 será pago em parcela única (Foto: DOUGLAS MAGNO/AFP via Getty Images)
  • Governador de MG, Romeu Zema, anunciou auxílio emergencial estadual

  • Pagamento será feito em parcela única por decisão de deputados, o que gerou críticas de Zema

  • Governador afirmou que pessoas que receberem o auxílio vão gastar dinheiro no bar

Nesta segunda-feira (4), o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), anunciou um auxílio emergencial para pessoas em situação de extrema pobreza no estado. O pagamento será feito em parcela única, no valor de R$ 600.

Zema defendia que o pagamento fosse feito de forma parcelada, proposta inicial do governo. No entanto, os deputados estaduais modificaram e o repasse será feito de uma só vez. O governador criticou a decisão e afirmou que muitas pessoas vão gastar o valor no bar.

Leia também:

“Nós sabemos, infelizmente, que muitas pessoas ao receberem esse dinheiro não fazem uso adequado do mesmo, vão para o bar, para o boteco, e ali já deixam uma boa parte ou quase a totalidade do que receberam. Então, se ele [auxílio emergencial] fosse pago de forma parcelada, muito provavelmente a sua efetividade social teria sido maior”, afirmou durante coletiva de imprensa em Belo Horizonte.

A declaração de Zema chamou atenção, já que o Brasil vive um momento de aumento dos índices de pobreza e de fome. Segundo pesquisa Datafolha, a maior parte dos beneficiários do auxílio emergencial do governo federal usava o dinheiro para comprar comida (53%), enquanto 25% utilizavam o dinheiro para pagar contar.

Os primeiros mineiros a receberem o dinheiro serão aqueles que não recebem o Bolsa Família, além de mães solteiras e filhos. O pagamento acontecerá entre os dias 14 e 21 de outubro. Para as famílias que não são prioritárias, mas estão na extrema pobreza, o repasse do dinheiro será entre os dias 22 e 29 de outubro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos