Zema defende fim de bloqueios: "Eleição acabou e a lei precisa ser cumprida”

Zema apoiou Bolsonaro no segundo turno (REUTERS/Adriano Machado)
Zema apoiou Bolsonaro no segundo turno

(REUTERS/Adriano Machado)

  • Romeu Zema defende desbloqueio das estradas;

  • Manifestantes que não aceitam a derrota de Bolsonaro ocupam as vias pelo segundo dia consecutivo;

  • Em publicação no Instagram, governador afirma que contatou as Forças de Segurança do estado.

O governador reeleito em Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), defendeu o desbloqueio das estradas ocupadas por manifestantes que não aceitam a derrota de Jair Bolsonaro (PL) nas urnas. Em publicação no Instagram, o político afirmou que a “eleição acabou e a lei precisa ser cumprida”.

“Já solicitei as nossas Forças de Segurança que tomem as medidas necessárias para desobstruir qualquer via ou estrada que esteja interditada pelas manifestações. A eleição acabou e agora temos que assegurar o direito de todos de ir e vir, e também que as mercadorias cheguem onde for preciso […]. Vamos cumprir a lei”, afirmou.

Apesar do apoio de Zema a Bolsonaro no segundo turno das eleições, o presidenciável não conseguiu obter a maioria dos votos no estado. Ele teve 49,80% dos votos por lá, ao passo que o adversário, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), conseguiu 50,20%. Desde a redemocratização, nenhum presidente venceu as eleições sem 'levar' Minas Gerais.

Nesta segunda-feira (31), o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), ordenou que Polícia Rodoviária Federal (PRF) e as polícias militares dos estados realizassem o desbloqueio das estradas. Na madrugada, a Corte confirmou a decisão do magistrado.

Ainda assim, as manifestações entraram no segundo dia nesta terça-feira (1º). Balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF) desta manhã indicava 271 pontos com vias obstruídas. Em alguns locais, supermercados já sofrem com desabastecimento.