Zezé Di Camargo celebra 30 anos de dupla com Luciano e comenta amizade com Roberto Carlos, que completa 80 de vida na mesma data

Naiara Andrade
·2 minuto de leitura

Neste 19 de abril, a comemoração é dupla na música brasileira. Enquanto Zezé Di Camargo e Luciano celebram 30 anos de uma história de sucesso juntos, Roberto Carlos é festejado por seus 80 de vida por anônimos e famosos. Os caminhos da dupla e do Rei já se cruzaram três vezes em especiais de fim de ano na TV Globo — logo no primeiro ano de sucesso dos irmãos, com “É o amor”, eles foram convidados a subir ao palco com ele — e em outras ocasiões de trabalho. Mas o relacionamento extrapola o âmbito profissional. Zezé conta, com orgulho, que está entre o 1 milhão de amigos do ídolo.

— Eu tenho uma relação muito bacana com o Roberto. Quando eu vou gravar uma música, mando para ele antes, perguntando sua opinião. Ele também me pede para composições próprias. Gozo de uma proximidade com ele, que eu respeito muito. Tenho Roberto como uma figura inatingível de respeito, de conduta de carreira, sou apaixonado nele — confessa o cantor, que enviou uma de suas músicas inéditas para o amigo analisar antes de todo mundo: — A música se chama “Duvido”. Roberto aprovou pra caramba, que honra! A primeira vez em que eu fiz uma música de cunho religioso, “Quem é Ele”, Roberto estava no mesmo estúdio que eu, gravando em São Paulo, em uma sala diferente. Aí, puxei ele para mostrar essa, porque ele é muito religioso, né? E o Rei disse: “Começou muito bem!” (risos). Fiquei superfeliz!

A falta de intimidade entre eles foi quebrada num dos primeiros ensaios para o especial da Globo, no estúdio da casa de Roberto Carlos, na Urca, Zona Sul do Rio.

— A gente terminou o ensaio num tempo razoável, umas duas horas antes do previsto. Luciano e os músicos foram embora. Ficamos só eu, Roberto e Carminha, secretária pessoal dele. Aí ele falou: “Bicho, o que você vai fazer?”. Eu respondi que ia voltar para o hotel, pois só viajaria para São Paulo no dia seguinte. Aí ele foi na geladeirinha da cozinha, pegou dois vinhos de quinta categoria e nós tomamos tudo — lembra Zezé, aos risos: — Ficamos lá umas três, quatro horas, falando da vida e contando piadas. Nunca imaginei! Depois que você bebe umas doses, o vocabulário muda muito, né? Toda aquela barreira que eu tinha por estar diante do Roberto Carlos, de querer falar tudo corretinho, saiu da linha. Conheci um outro lado do Rei, e guardo esse momento com muito carinho.

A ocasião mais recente em que os dois se falaram foi na morte de Seu Francisco, pai da dupla, em novembro do ano passado:

— Ele me ligou para expressar seus sentimentos pela perda, e a gente acabou conversando mais de uma hora ao telefone. Roberto realmente é uma pessoa muito especial.