ZONA ELEITORAL-Ciro critica tom religioso de campanha e ataca publicação "Deus usa Lula"

Ciro Gomes durante encontro com comunidade científica em Brasília

"Zona Eleitoral" é uma coluna de notas sobre as eleições gerais deste ano, produzida pelos jornalistas da Reuters no Brasil

18 Ago (Reuters) - O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, criticou nesta quinta-feira publicação nas redes sociais divulgada pela presidente do PT, Gleisi Hoffman, e por apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que afirma que "Bolsonaro usa Deus, Deus usa Lula!"

"Para quem tem consciência política, por favor, eu diria até pelo amor de Deus, não vamos fazer isso! Quando o fascismo repete na boca da esquerda a sua linguagem, misturando a religião com política, a humanidade sempre sofreu grandes violências", disse Ciro em vídeo, no qual pede que seus "irmãos cristãos" não deixem que usem o nome de Deus em vão.

Bolsonaro tem buscado ativamente o eleitorado evangélico e o presidente e seus apoiadores têm repetido alegações falsas de que, se eleito, Lula fecharia igrejas e de que o petista é a favor do aborto e da legalização das drogas. A publicação que aponta Lula como instrumento divino também foi compartilhada pelo deputado federal André Janones (Avante-MG), que tem tido papel ativo no apoio a Lula nas redes sociais.

LU ALCKMIN CABO ELEITORAL

Geralmente discreta nas campanhas anteriores do marido, a ex-primeira-dama de São Paulo Lu Alckmin tem se engajado cada vez mais na campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência e do ex-governador paulista Geraldo Alckmin (PSB) a vice.

Na noite de quarta, Dona Lu, como é conhecida, publicou vídeo em sua conta no Twitter convocando para o comício do petista no sábado no Vale do Anhangabaú usando o mesmo tom calmo e pausado de fala que é marca registrada do marido.

"Vamos juntas e juntos pelo Brasil da esperança", disse a postulante a segunda-dama do Brasil, que, além de acompanhar Alckmin em eventos de campanha, também tem pedido votos a Lula e a Fernando Haddad, candidato petista ao Palácio dos Bandeirantes, em eventos ao lado de Rosângela da Silva, a Janja, esposa de Lula.

(Por Eduardo Simões)