ZONA ELEITORAL-TSE reforça proibição de Bolsonaro usar discurso da ONU em redes sociais

Bolsonaro discursa na ONU

23 Set (Reuters) - O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Benedito Gonçalves, mandou nesta sexta-feira a campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) retirar imediatamente de todas as redes sociais do candidato à reeleição vídeos com trechos do discurso que ele fez na Assembleia-Geral das Nações Unidas, em Nova York.

Na quarta, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já havia feito essa proibição de uso em propagandas de Bolsonaro no rádio e na TV e, agora, disse que um descumprimento levará a uma multa de 20 mil reais.

Na ONU, Bolsonaro adotou um discurso de candidato e destacou uma série de iniciativas adotadas durante o atual mandato, além de atacar seu principal adversário, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

SEM FÉRIAS AGORA

Um dos principais coordenadores da campanha à reeleição de Bolsonaro, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), cancelou nesta sexta seu pedido de férias que iria tirar na próxima semana, a última antes do primeiro turno das eleições.

Em nota, a assessoria de Nogueira informou que o pedido foi interrompido "devido a diversos compromissos inadiáveis na próxima semana" e que ele vai ingressar com novo pedido depois das eleições. "Irei descansar após a reeleição do presidente Bolsonaro", disse, segundo a assessoria.

Antes da interrupção, o ministro --um dos caciques do Centrão e ex-aliado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)-- chegou a falar publicamente que iria tirar férias para ajudar na eleição de aliados no seu Estado, o Piauí.

SIMPATIA MEXICANA

A menos de dez dias do primeiro turno da eleição presidencial brasileira, o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse nesta sexta-feira que, embora Bolsonaro tenha sido sempre respeitoso com ele, a simpatia que tem no Brasil é por Lula.

"Não posso comentar isso, a verdade é que o presidente Bolsonaro tem sido respeitoso conosco, ele nunca questionou o México nem nós questionamos seu governo, mas bem, nossa simpatia no Brasil por Lula é bem conhecida, mas não posso dizer mais", disse ele, nesta sexta-feira.

AMLO, como é conhecido o chefe de Estado mexicano, que é de esquerda, disse desejar que "o povo brasileiro decida livremente o que considera melhor para o seu país".

MULHERES E HOMENS

Pesquisa Datafolha divulgada na quinta-feira mostrou Lula consolidando sua larga vantagem sobre Bolsonaro entre o eleitorado feminino e uma disputa bem mais apertada entre os homens.

O petista foi a 49% das intenções de voto entre as mulheres, em comparação com 46% uma semana atrás, enquanto o candidato à reeleição permaneceu com os mesmos 29% de antes.

Já entre os homens, Lula repetiu os 44% da semana passada, enquanto Bolsonaro oscilou 1 ponto para cima a 38%. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

NÃO CONFIA

Ainda segundo o Datafolha, a maioria da população segue sem nunca confiar no que Bolsonaro diz. Essa parcela da população soma agora 52%, ante 51% na semana passada.

A sondagem mostrou ainda que os que às vezes confiam são agora 26% --ante 27%-- e os que confiram sempre na palavra do presidente se mantiveram em 21%.

(Por Valentine Hilaire, na Cidade do México; Ricardo Brito, em Brasília, e Eduardo Simões, em São Paulo)