Zoológico do Rio fecha para obras; valor do ingresso vai aumentar

Gabriel Morais, Isabela Aleixo
Com 22 mil metros quadrados, área de safári do novo zoo terá zebras, girafas, gazelas, avestruzes e hipopótamos

RIO - O zoológico do Rio anunciou que vai fechar totalmente para obras a partir deste sábado. A reabertura está prevista para o primeiro trimestre de 2020, mas ainda não há data definida, de acordo com o grupo que administra o Rio Zoo. As obras do zoológico começaram em dezembro do ano passado, mas o parque ainda estava aberto para visitação aos sábados e domingos em uma área que corresponde a 20% de todo o espaço do zoológico.

Mesmo sem previsão para reabertura, o diretor do Rio Zoo, Fernando Menezes, adiantou que o ingresso vai sofrer reajuste. Atualmente, por causa das intervenções, o valor cobrado era R$10, metade do ingresso normal. Após este período de obras, quando reabrir, o valor do ingresso promocional para cariocas será de R$40. Estudantes, idosos e pessoas com deficiência também terão direito à tarifas reduzidas.

Segundo Menezes, por causa das interdições, o público no zoológico aos fins de semana diminuiu. Passou de entre 3 a 5 mil visitantes entre sábado e domingo para cerca de mil a 2 mil visitantes. Por causa das obras, os dias de visitação passaram a ser apenas aos finais de semana, antes o zoológico era aberto de terça a domingo. Sobre o período de intervenção total coincidir com os meses de férias escolares, o diretor afirma que o fechamento para obras é necessário por uma questão de segurança:

— Após quase um ano e meio de obras, finalmente as intervenções chegaram a espaços de trânsito do público, portanto, entendemos que fica inviável o tráfego de pessoas. Nesse momento, a interrupção da visitação é necessária para que em poucos meses a população do Rio tenha de volta o zoológico em outro formato, com muito mais conforto e bem-estar animal.

Entre as modificações previstas está a criação de um centro de pesquisas em vida animal de padrão internacional, com um banco genético de espécies e projetos de conservação e refaunação. A reabertura em 2020 será parcial e os visitantes poderão visitar o ambiente das aves e a Fazendinha em um formato imersivo, além disso, também está prevista a inauguração do espaço Aventura Selvagem. Esta fase da obra vai custar, no mínimo, R$70 milhões, segundo estimativa do diretor do zoológico.